Coluna Beth Passos Online

*O presidente Jair Bolsonaro recebeu amigos e familiares para um churrasco no Palácio da Alvorada, no Dia das Mães, 9 de maio, com as melhores bebidas e comidas. Entre as carnes oferecidas aos convidados estava uma picanha de boi da raça wagyu, de origem japonesa, vendida a R$ 1.799,99 o quilo. Socorro, Brasil!  

*Já vou avisando que em breve os países que já estão com as vacinas em dia, os Estados que estão avançando com a vacinação, o próprio Acre e seus municípios exigirão carteiras para quem quiser viajar. Então é bom parar com a frescura e aproveitar a boa fé do governo do Estado e das Prefeituras e tomar logo a vacina para estar com o documento em mão. Será exigência igual CPF ou documento de identidade. Se liguem na missão!

*Nem temos vacina para todos e já tem gente querendo escolher a marca. Ô povo escroto! Jizuis Craistus

*A campanha de vacinação contra a gripe não tem atingido o número esperado de imunizados na capital acreana. A Vigilância Epidemiológica de Rio Branco afirma que tem sido mínima a procura durante a primeira etapa de vacinação nos 42 postos de saúde, encerrado no início da semana. Agora são idosos acima de 60 anos e professores. A meta do Ministério da Saúde é imunizar 90% dos grupos prioritários, divididos em três etapas. É povo escroto ou, não é?

*Checklist diário: 

-Passar álcool em gel;  

-Grudar na máscara;  

-Aferir a temperatura;  

-Distanciar-se das pessoas; 

-Xingar o vírus; 

-Virar os olhos;  

-Engolir o choro no banho.  

Orar e seguir!

*Aiiiinnnn pessoinhas da minha bolha…. Estou sofrendo de abstinência da Juliette. Deveria dizer do BBB, mas ela era a única pessoa que ainda me fazia crer no ser humano verdadeiro. Aquele ser autêntico cheio de erros, que assumia, não pisava em ninguém e ainda me fazia rir horrores.

*E não estou sofrendo sozinha não viu? Outro dia nas redes sociais o assunto mais comentado era “como é lindo o sovaco da Juliette”. Eu aguento meu povo. Não é abstinência da paraibana arretada, isso já é loucura. Rachei o bico de rir! 

*E o Projota, colocou a culpa das suas canalhices no reality na sua depressão???? É isso mesmo Brasil??

*Domingo, assisti parte do programa do Faustão para ver a Juliette, é claro, e choquei com o discurso preconceituoso do apresentador: 

De cara Faustão começou dando destaque primeiro a Feiuk, ops, Fiuk e Gilberto – respectivamente 3° e 4° lugares – no reality exaltando o desempenho e o resultado alcançado. Aí lembrou da Camilla de Lucas, 2°lugar, altíssima, mas mulher e preta, e perguntou o que faltou para que ela chegasse ao primeiro lugar. Chocada fiquei e estou até agora. Ando vivendo a base dos meus sais e florais. Xô, preconceito!!! 

*Mas pior foi a Karol Cobra Tombada vestida de evangélica, pega no pulo, falando mal do programa da Rafa Kalliman, que apresenta um programa dirigido pelo Boninho, que é o diretor geral do BBB. (Eu vou rir João) …. Resumindo, acabou com o documentário da Globo para limpar sua imagem. Mas o enredo continuou porque a equipe da Mamancita, como a mocréia gosta de ser chamada, chantageou a Rede Globo até conseguir um contrato para ela. Já com a Avon, não teve o mesmo êxito. Gentem, que mulher ardilosamente esperta!

Ô Mai Godi! Chocada estou!!!

*Acho que vou me inscrever no Big Brother 2022 só para ficar 100 dias sem ter notícias do Brasil. E vou agir igual a Pocah, só que não vou tretar, só dormir mesmo. Bem planta mesmo e se aparecer um Gil da vida gritando, afogo na piscina! 

*E meus conhecidos falam para assistir o No Limite, que é a mesma coisa. Deus me defenderay! Como diria a musa campeã Juliette. Vou perder meu tempo vendo aquelas pessoas lutando pela sobrevivência, suados, fedidos. A acreana Gleyce Damasceno, coitada, já está milionária. E toda lindinha com a sua harmonização facial, fazendo careta no sol escaldante. As outras quase estourando o silicone e o botox de tanto fazer força igual aqueles meninos que entram no exército. Um horror! Os homens esqueceram o charme que fazem nas academias. Querem mais é comer e vencer os desafios. De concorrida basta a vida na pandemia. Não assisto aquilo, nem sob tortura!

*Não sei se é o friozinho ou essa pandemia que não acaba nunca. Ando numa desvontade impaciente e irritante com tudo. Sabem o que é isso? Eu também não sei, estou tentando descrever com palavras, mas quando descobrir conto para vocês. 

*A vida é bem BOA, a despeito de TUDO. Sorry! Ainda estou por aqui, então celebremos. Bom DEMAIS ser um ser VIVO, apesar de ver e saber de tanta de gente morta. Cruzes! Também não vamos naturalizar a morte!!!

*Assistindo as mães que estavam no Fantástico que perderam suas crianças lá na creche são muito fortes. Porque eu não teria estrutura alguma para falar com ninguém. Aliás, se um dia minhas afilhadas ou sobrinhas se forem antes de mim eu não aguento não. Meu coração partiu todinho! 

*Aí gente, ando muito a flor da pele! Vendo também as homenagens a Paulo Gustavo. Que mãe é aquela! Que mulher forte maravilhosa, inspiradora, o próprio Paulo Gustavo de saia.

*Maternidade é a função mais injusta do planeta. A maior parte das mães cuida das crianças sozinha o tempo todo, sem descanso, sem remuneração, sem qualquer reconhecimento, e ainda se sujeitam a críticas e insinuações da sociedade, da própria família, do pai, o tempo todo. Sério, eu queria dar um abraço apertado em todas as mulheres que são mães porque tem dia que só quem tem essa função sabe o que a outra passa. O resto sequer imagina, só julga, aponta o dedo na cara e acha que sabe o que é, ser mãe.  

*E domingo, Dia das Mães, lavei tanta louça, porque as pessoas não se satisfazem em estarem juntas, tem que comer horrores. Então fiquei pensando enquanto lavava as abençoadas louças e panelas, na força do ódiooooooooooooo!

Só existe uma solução para o infindável problema da lavação eterna: A DESINVENÇÃO DA LOUÇA! E dos talheres, pelo menos! Como agora todo mundo LAVA A MÃO, é só a gente voltar a comer tudo na mão e com a mão. Afinal, louças e talheres foram inventados para a gente evitar de colocar a mão SUJA em contato com a boca, né? Estão percebendo do que é capaz uma mente delirante em plena pandemia pessoas da minha bolha?

*Muita gente incomodada com a vida alheia. Impressionante os julgamentos públicos e comentários nas redes sociais do que nem é perguntado. Chocada fico!  

Viajou??? Posta sim, mostra que você trabalhou para ter seu merecido lazer. Fez um almoço ou jantar diferente? Posta demonstrando seu capricho.  

Está feliz no relacionamento?! Posta também. Fez um trabalho que se orgulha?! Posta foto sim, mérito seu. Publica O QUE QUISER, como quiser, quando quiser e ONDE QUISER. 

O que para alguns gera incômodo, para outros é motivação. 

Quem não quiser ver ou ler, é só ir lá e DESFAZER AMIZADE. Uma conhecida minha chegou a ficar deprimida por causa de comentários de quem não tem o que fazer na vida. Sugiro uma lavagem de roupa, cuidar das plantas, se olhar no espelho. Ah vá! Sabe para onde né? 

* “A gente trata a nossa angústia desse jeito, negando a realidade”. Christian Dunker, sobre o negacionismo de massa e as diversas faces da negação que a pandemia explicitou. Cobrimos nossa face física com máscaras e tiramos o véu de faces bizarras da nossa personalidade. Há muito tempo eu esperava uma síntese tão bem-feita sobre os diferentes tipos de negacionismo e de negação, que temos visto se multiplicar diante de nós.

*Gente! Vocês viram que a Wikipédia está pedindo dinheiro para se manter? Fiquei com dó. Todo mundo usa a Wikipédia, mesmo os que insistem em ocultar que usam. Sugiro que as pessoas que insistem em dizer que nunca nem consultaram doem lá os 10 reais (um maço de cigarro) que eles estão pedindo e não contem a ninguém também. Nada mais justo! 

*A ÚNICA coisa boa de quando começa a esfriar (acho frio CAFONA NO ÚRTIMO). São as fondues “prontos” que reaparecem nos supermercados. De prontos, eles não têm NADA, só nos poupam de achar e ralar umas boas peças de gruyère e ementhal, mas eu não ligo para o trabalho que dá fazer um fondue “pronto” ficar pronto, porque amo queijo. É cada gororoba! Só pode ser feita com ração de animais. Nem a Back, minha cachorra conseguiu engolir. Tentei iludir a bichinha, mas é esperta, não engoliu, nem sob tortura! São tempos sombrios meu povo.

*Parei com esse negócio de “uma mão lava a outra”, pois sempre que chega a minha vez, a água sempre acaba. É sério! 

Fui, minhas lindezas. Beijos ortograficamente elegantes a todos. Fiquem ligados na missão, porque eu não me calo, NEM SOB TORTURA!!!


Beth Passos é jornalista

E-mail: [email protected] 


Assuntos desta notícia