Pular para o conteúdo
sonho adiado

Aprovados no cadastro de reserva da Polícia Civil realizam protesto em frente o Palácio Rio Branco

Grupo se mobiliza contra declarações do governador Gladson Cameli em coletiva nesta terça-feira, 10

O cadastro de reserva da Polícia Civil é de 500 pessoas, de acordo com o grupo (Foto: Cedida)

Após declaração do governador Gladson Cameli nesta terça-feira, 10, de que o último concurso para a Polícia Civil do Acre (PCAC) não previa cadastro de reserva e ainda o anúncio de novo concurso para a instituição, os aprovados no último concurso que aguardam o chamamento realizaram, nesta tarde, um protesto em frente o Palácio Rio Branco.

Durante a coletiva, o governador declarou: “Toda essa situação tem que se olhar pela possibilidade jurídica. Eu não estou acima das nossas leis, então diante de toda essa situação, o último edital que saiu da Polícia Civil estava muito bem específico lá ‘um único curso de formação’ e nós estamos abrindo também um edital para a Polícia Civil, Iapen [Instituto de Administração Penitenciária] e ISE [Instituto Socioeducativo]”, disse Cameli.

O anúncio pegou os concursados da PC de surpresa, visto que, de acordo com o grupo, composto por 500 pessoas, o governador havia se comprometido pessoalmente a realizar as convocações.

“Nós estamos completamente consternados, não esperávamos de forma alguma uma declaração como essa (…) encontramos [o governador] no evento da 6 de Agosto e ele declarou que nos receberia hoje [terça-feira, 10] para uma reunião e que já estava viabilizando a nossa convocação, no entanto hoje ele não nos recebeu e ainda deu aquela declaração. Nosso edital não tem erro algum, está bem claro a previsão do Cadastro de Reserva, o que não impede de forma alguma a nossa convocação”, lamentou Michelle Santos, uma dos membros do CR da Polícia Civil.

Ainda de acordo com ela, o anúncio do governo de que realizará concursos públicos nos próximos meses anula o próprio argumento que norteia a decisão de não convocar os concursados.

“O governador falou diversas vezes que não fez a nossa convocação por conta da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), mas o nosso curso de formação – Acadepol, não iria onerar a folha do Estado porque seria somente mais uma fase do concurso, não é sinônimo de contratação, então já cai por terra a declaração dele da LRF porque hoje mesmo ele anunciou novos concursos, então não existe essa justificativa. Como seria feito um novo concurso se a LRF não autoriza nem o Cadastro de Reserva?  São coisas que não existem mais justificativa, entendemos que não há vontade da parte do governo. É muito difícil digerir, porque foi uma promessa feita e alimentada durante três anos e agora ele faz uma declaração dessa, estamos consternados e revoltados”, conta Michelle Santos.

Leia mais: Governador confirma convocação de 78 pessoas do Cadastro de Reserva da PM e anuncia concursos para a área de segurança pública