Pular para o conteúdo
Política

“Não há isso de convencimento, há diálogo”, diz Angelim sobre candidatura em 2022

Ex-prefeito é cotado para concorrer uma vaga na Câmara Federal, mas diz que momento ainda é de diálogo

Conhecido por não tomar decisões no calor das emoções, o sempre ponderado ex-prefeito e ex-deputado Raimundo Angelim (PT), apesar das inúmeras especulações em torno de seu nome para concorrer nas próximas eleições de 2022, não confirma que disputará o pleito com uma possível candidatura a deputado federal. Ele também não nega, mas diz que o momento é de dialogar.

“Eu prefiro me resguardar neste momento, observar as movimentações políticas e dialogar com as pessoas que sempre estiveram ao meu lado, principalmente a minha família. Não costumo decidir sozinho se sou ou não candidato. Nunca foi assim, até porque trilhar um caminho desse sem o apoio de quem confiamos e de quem confia na gente já é vislumbrar um pleito sem sucesso”, avalia Angelim que, está numa fase mais familiar e desenvolvendo outros projetos na área de planejamento.

Indagado se suas recentes aparições nas redes sociais, em reuniões com lideranças de seu partido, como o ex-prefeito Marcus Alexandre, o ex-senador Aníbal Diniz e o ex-governador e ex-senador Jorge Viana, não se tratavam de articulações políticas para convencê-lo a colocar o nome à disposição do partido para fortalecer a chapa proporcional do PT, Angelim foi objetivo:

“Somos amigos, partilhamos de muitas ideias comuns sobre a política, mas também sobre a vida. Nos reunimos, tomamos um café e, invariavelmente, falamos sobre os desafios do Brasil e do Acre para o futuro. Mas não há esse tom de convencimento. Há uma relação de muito respeito, amizade e, sim, disposição, até porque temos um legado de bom trabalho realizado e contamos com o carinho e o respeito da população por onde passamos o que dá um orgulho e um senso forte de responsabilidade, porém o momento não é de se adiantar.”, concluiu.