Pular para o conteúdo
INVESTIGAÇÃO

Relator da CPI dos Consignados, Edvaldo Magalhães promete ‘surpresas’ sobre operações com a folha de pagamento do Estado

Deputado pedirá reabertura dos trabalhos da CPI, na próxima semana

Instalada pela Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) em setembro de 2019 para apurar casos de excessos, ilegalidades, ações de má fé e transgressões cometidas por bancos e instituições financeiras contra servidores públicos estaduais, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Consignados pode ser retomada na próxima semana, pelo menos se depender da vontade do deputado estadual Edvaldo Magalhães (PC do B).

Presidente da CPI, que teve os trabalhos suspensos, também por conta da pandemia de Covid-19, Edvaldo Magalhães informou que procederá a convocação dos demais membros para darem continuidade aos trabalhos de investigação sobre as possíveis irregularidades cometidas por bancos e financeiras. São titulares da Comissão, os deputados: Wagner Felipe (BPL), Chico Viga (PHS), Antônio Pedro (DEM), e Roberto Duarte (MDB).

“Vamos voltar o debate, tivemos muita informação e teremos muitas surpresas aqui com relação a essas operações consignadas com as folhas de pagamento do Estado. Teremos acesso a todos os processos”, disse.

Ainda de acordo com o deputado, a empresa que atualmente detém o monopólio na operação dos empréstimos para os servidores do Acre não faz o repasse para os bancos. “Eles cometem o absurdo de fazer os descontos nas folhas de pagamento, mas demoram até 30 dias para fazer o repasse, tornando o servidor inadimplente. É necessária a volta da CPI para darmos resposta a isso.”, salientou.