Pular para o conteúdo
Danos

Com 55 ocorrências registradas, Defesa Civil de Rio Branco classifica tempestade de sexta como uma das mais graves do mês

Restaurante do Círculo Militar teve tenda e telhados levantados pelo vento.

Bairros sem energia elétrica, casas destelhadas, pontos alagados, semáforos desligados e árvores caídas em vários trechos da cidade. Assim ficou Rio Branco após a curta tempestade que caiu na tarde da última sexta-feira,24, por volta das 15h50. A Defesa Civil Municipal registrou 55 ocorrências e classifica este, como um dos mais graves eventos do tipo neste mês de setembro, até o momento.

Das 55 ocorrências, oito são de destelhamentos complexos de residências ou galpões e 47 são relacionadas à quedas de árvores e todos possíveis transtornos e consequências.

“Caiu árvore em cima de residência que nós ainda estamos retirando, caiu árvore em via pública que interrompeu o trânsito, caiu árvore em fiação elétrica que fez suspensão de energia em diversos bairros. O estrago total das quedas de árvores”, comenta o Major Flores, coordenador da Defesa Civil de Rio Branco. Os acidentes também chegaram a ferir pessoas, mas nenhum caso grave com necessidade de atendimento médico foi registrado.

O Corpo de Bombeiros recebeu cerca de 68 acionamentos para ocorrências envolvendo cortes de árvores e destelhamentos de residências ou prédios comerciais.

O Corpo de Bombeiros recebeu cerca de 68 acionamentos para ocorrências envolvendo cortes de árvores e destelhamentos.

Desde o dia 6 de setembro até ontem, quatro tempestades semelhantes aconteceram na cidade causando danos em diferentes pontos com mais ou menos intensidade. “Como estamos ainda na parte de socorro dos casos, não podemos dizer que a chuva de ontem foi a mais grave, mas teve muitos casos graves, posso dizer que ficou em primeiro ou segundo lugar dos casos do mês, ficaria atrás apenas, da primeira tempestade, do dia 6”, explica o Major.

Na primeira chuva do mês, moradores chegaram a registrar granizo em alguns lugares e no dia 9 de setembro, uma árvore chegou a cair em cima do container de um Banco, no bairro Bosque, levantando parte da calçada.

A Defesa Civil alerta ainda para mais eventos como estes que podem ocorrer dentro dos próximos 20 dias. “A previsão da Defesa Civil é de que a gente não vai ‘descansar’ antes do dia 15 de outubro. Então nós temos ainda o final de setembro e a primeira quinzena de outubro que podem ocorrer eventos iguais ou mais graves ainda do que já aconteceu”, enfatiza.

Danos da última tempestade

Na última sexta-feira,24, as regiões da Vila Ivonete, Village e Bosque foram as mais atingidas pela tempestade. No Aviário a forte chuva derrubou a fachada de uma fábrica de bolachas e chegou a quebrar o vidro das janelas da Organização em Centros de Atendimento (Oca), no Centro. No Círculo Militar, o telhado da academia e dos restaurantes também foram danificados.

Um vídeo registrou o momento em que uma sorveteria, localizada no Conjunto Village, teve a cobertura arrancada pela tempestade. No Pronto Socorro, funcionários registraram a água que inundou alguns corredores do Hospital. No clube do Vasco, na Cohab do Bosque, uma árvore caiu em trecho da entrada e afetou a energia elétrica do local.

Fachada da fábrica Miragina caiu na última sexta-feira,24.

Em Xapuri

Uma das árvores que caiu na cidade de Xapuri atingiu a estrutura de um bar. (Foto: Corpo de Bombeiros)

Na cidade de Xapuri, o 8° Batalhão do Corpo de Bombeiros foi acionado para o atendimento de três ocorrências envolvendo queda de árvores. Uma árvore de grande porte caiu na BR 317, próximo ao entroncamento de Xapuri. Na Estrada da Borracha, uma árvore caiu no trecho do km 08 e outra no km10, atingindo a estrutura de um bar.

Leia também: Temporal destrói fachada da Miragina e destelha casas e comércios em Rio Branco