Pular para o conteúdo
a menina das vagas

“Conte a sua história, que é a história mais bonita que existe”, orienta Raquel Albuquerque sobre entrevista de emprego

Em entrevista à rádio 93fm, Raquel Albuquerque falou sobre sua história e contou como descobriu uma brecha no mercado local para empreender

A taxa de desemprego no Acre já é maior que a do Brasil, proporcionalmente, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IGE), em pesquisa divulgada no dia 31 de agosto. Com mais de 62 mil acreanos em busca de uma colocação no mercado de trabalho, saber como buscar uma vaga, se qualificar, e se portar bem em uma entrevista de emprego são habilidades fundamentais, por isso, a consultora de mercado e profissões, Raquel Albuquerque, a menina das vagas, orienta sobre o quão importante é ser sincero: “Conte a sua história, que é a história mais bonita que existe”.

Em entrevista aos jornalistas Tiago Martinelo e Brenna Amâncio na manhã desta quinta-feira, 9, na rádio 93fm, Raquel Albuquerque falou sobre sua história e contou como descobriu uma brecha no mercado local para empreender. Hoje, ela não apenas carrega consigo o apoio de mais de 38 mil pessoas que a seguem na rede social instagram, como já transformou a vida de inúmeras famílias com suas dicas e orientações voltadas ao mercado de trabalho.

“Faço questão de manter a pegada social das vagas [nas minhas redes sociais], porque eu acho que ajuda muita gente. Eu trabalho desde os 16 anos, e em 2017 passei por um período de três meses desempregada. Conforme eu ia achando aquelas vagas eu ia compartilhando. As pessoas falavam que no Acre não tinha vagas, mas eu via que sim, tinha. E comecei a compartilhar e isso caiu no gosto do povo, ninguém fazia aquilo. Eu fui para a internet procurar o que eu não encontrava com o consumidora”, conta ela.

Hoje, Raquel já trabalha fazendo o recrutamento de mão-de-obra para empresas que a contratam. “Eu falava muito sobre qualificação, no que eu comecei, os cursinhos me chamavam, as faculdades (…) Em 2020, eu passei por um câncer de mama e foi de encontro, porque eu trabalhei em casa, com folga, foi rentável. A pegada social que eu sempre quis ter no instagram”, relata Raquel.

Entrevista foi concedida na manhã desta quinta-feira, 9, na rádio 93fm (Foto: Cedida)

Qualificação

“Antigamente [se qualificar] era muito caro, mas hoje em dia tá tudo na palma da mão. Hoje, Sempre indico três sites gratuitos, porque as pessoas às vezes indicam sites que na hora de imprimir o certificado, precisa pagar, então eu indico sempre três sites, que são o Senac, Senado Federal e Fundação Bradesco. As coisas mudam muito rápido, então se qualifiquem”, alerta.

De acordo com Raquel, especialistas podem levar até seis segundos para avaliar um curriculo. Por isso, é importante que as pessoas sejam objetivas ao fazer um currículo.

“Você tem que se vender da forma mais objetiva. As pessoas costumam colocar RG, CPF [no currículo], isso não deve ser feito. É até perigoso se isso cair em mãos erradas, então coloca o basicão em cima. O que você quer fazer na minha empresa? Falar das suas habilidades, suas três últimas experiências, e em relação ao comportamento, as empresas às vezes nem te chamam porque as pessoas veem suas redes sociais pelo nome e já não te chamam”, orienta ela acrescentando que atualmente as redes sociais já permitem que determinados conteúdos sejam restritos a um grupo específico de pessoas, contribuindo para uma imagem pública adequada ao ambiente de trabalho.

Quer conferir o bate papo na íntegra? Então ouça a entrevista abaixo: