Pular para o conteúdo
sessão extraordinária

Câmara aprova viagem de Bocalom e Normando para Reino Unido e Alemanha; apenas dois votaram contra

Na Escócia, acontece a Conferência das Nações Unidas Sobre Mudanças Climáticas, a COP-26, e, na Alemanha, Bocalom planeja fazer uma visita técnica à fábrica da Mercedes Benz

Em sessão extraordinária convocada na tarde desta sexta-feira, 29, a Câmara Municipal de Rio Branco aprovou por nove votos a dois a viagem do prefeito Tião Bocalom (Progressistas) e do secretário municipal de Meio Ambiente, Normando Sales, ao Reino Unido e à Alemanha no período de 31 de outubro a 9 de novembro.

No Reino Unido, mais precisamente na cidade de Glasgow, na Escócia, acontece a Conferência das Nações Unidas Sobre Mudanças Climáticas, a COP-26, e, na Alemanha, Bocalom planeja fazer uma visita técnica à fábrica da Mercedes Benz, na cidade de Stuttgart e cumprir agenda oficial, em Bonn, com o Presidente do ICLEI (Governo Locais pela Sustentabilidade) e a prefeita, Katja Dörner.

Dos vereadores presentes, votaram a favor: Antônio Morais, Rutênio Sá, Raimundo Castro, Hildegard Pascoal, Arnaldo Barros, Francisco Piaba, Célio Gadelha, Raimundo Neném e Joaquim Castro.

Contrários, votaram Emerson Jarude e Michelle Melo. “Não estou de acordo em mover a máquina pública e ter uma sessão extraordinária para autorizar a viagem do prefeito que não cuida das coisas básicas da cidade para ir à Europa, isso é brincar com os vereadores e com o povo. O prefeito de Rio Branco deve ter mais respeito pelos rio branquenses e deve ficar na cidade para cuidar das ruas, arrumar o transporte público e buscar garantir remédios para pressão alta que estão em falta nas unidades de saúde.”, disse a vereadora justificando seu voto.

“Estamos diante de uma prefeitura que está aí há um ano, mas ainda está patinando. Não teria problema algum se o dinheiro fosse do próprio prefeito, ou se nossa cidade estivesse organizada. Portanto, senhores, é de extrema importância que esta Casa não autorize esta viagem do prefeito!”, asseverou Jarude antes de ter o voto vencido.

Convocar os vereadores para tratar pautas como essa está previsto na Lei Orgânica do Município (LOM), segundo a qual o chefe do Poder Executivo precisa de autorização prévia do Legislativo Municipal para se ausentar do país. A vice-prefeita Marfisa Galvão assumirá o cargo pelo período que durar o afastamento de Bocalom.