Pular para o conteúdo
Sexta e sábado

Coletivo de mulheres empreendedoras realiza segunda feira em Rio Branco

Feira do “Elas fazem Acontecer” será realizado nos dias 5 e 6 deste mês, no Horto Florestal

Coletivo possui, atualmente, 270 mulheres microempreendedoras.

Cerca de 50 microempreendedoras vão participar da II Feira do coletivo “Elas Fazem Acontecer Acre” que será realizado nesta sexta-feira,5, e sábado,6, no Horto Florestal, em Rio Branco. Com produtos que vão de vestuário a alimentação, o evento será realizado das 15h até às 20h.

Com exposição e venda de plantas, artesanatos, cristais/biojoias, comidas, crochês e mais, a feira é uma realização do coletivo que é integrado, hoje, por 270 mulheres. ” Apoie mulheres, compre de mulheres e divulgue mulheres! Você vai estar ajudando famílias”, convida a idealizadora do coletivo e microempreendedora, Lidianne Cabral.

Lidianne vai participar do evento com a venda de hambúrguer artesanal, empreendimento que iniciou em agosto de 2020. Mas ela garante que a feira vai abranger vários públicos inclusive os adeptos a comidas fitness. “Quem for vai se surpreender com tanta coisa linda!”, afirma. Ela conta com mais oito mulheres que ajudam na direção e execução dos projetos do coletivo.

Lidianne e seu sócio Márcio Emmanuel, são os proprietários da Hamburguer RB.

“Elas Fazem Acontecer Acre”

Criado em julho deste ano, o coletivo de mulheres donas de pequenos negócios reúne cerca de 270 integrantes, até o momento. Hoje, o grupo funciona como uma rede de solidariedade e apoio entre as participantes. Entre os objetivos do coletivo está a troca de experiências, informações sobre os produtos e serviços, realização de cursos e oficinas, fortalecer e gerar vendas, entre outros.

“É uma grande rede de apoio pois o Acre é um estado difícil para comprar insumos, então criamos uma rede própria para compartilhar conhecimentos e produtos de outros estados, para trazermos para cá. Nos unimos para potencializar nossos negócios, gerar economia, autoconhecimento e busca por um objetivo coletivo, que é o que acho o mais bonito dessa rede”, explica Lidianne.

O número de integrantes aumentou em pouco tempo e a realização da primeira feira, com 80 empreendimentos, foi um dos motivos pelo aumento da procura de novas mulheres. No período, eram 200 microempreendedoras que faziam parte. Entretanto, Lidianne explica que tiveram que controlar a quantidade de pessoas, para não perder a qualidade da proposta.

“A cada feira entram mais mulheres e a gente está crescendo. Mas o coletivo não é uma ideia fechada, esperamos que outras mulheres, até em outros municípios possam se inspirar e começar essa rede por onde moram”, afirma.

Fazem parte da executiva do coletivo Lígia Martins, Mineia Spoltore, Gercy Torres, Thayanne, Denila Soares, Veronica Torres e Carminha.

Coletivo conta com nove mulheres na direção e execução dos projetos e eventos.

Leia mais em: Feira reúne 80 empreendimentos de mulheres, na Praça da Revolução