Pular para o conteúdo
na tv gazeta

‘Sempre soube que seria muito difícil’, diz presidente eleito da OAB/AC, Rodrigo Aiache

À TV Gazeta, advogado falou sobre os futuros desafios à frente da OAB/Ac, fortalecimento da advocacia, abstenções do pleito e mais

Em entrevista concedida ao jornalista Itaan Arruda, no programa Gazeta Entrevista desta quarta-feira, 24, o advogado Rodrigo Aiache Cordeiro, de 41 anos, eleito novo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Acre (OAB-AC) para o triênio 2022-2024, falou sobre sua vitória, dos novos desafios, do fortalecimento da entidade, de política e da ruptura quase que hegemônica no Acre, do órgão máximo que define as regras para o exercício profissional da advocacia no país. Ele esteve acompanhado da advogada Socorro Rodrigues, vice-presidente eleita.

“Sempre soube que seria muito difícil ganhar o pleito. Nas eleições da OAB é improvável que haja alternância de poder. Se não me engano, somente em três locais no Brasil houve vitória da oposição. Mas, eu, Socorro e todo o nosso time, que é composto por mais 74 colegas advogados e advogadas, trabalhamos muito duro desde o início. Acordava 4h da manhã para cumprir meus afazeres e para poder conversar com os colegas, discutir ideias e propostas, para entender qual é o problema da advocacia”, disse Aiache.

O presidente eleito salientou que estava confiante na vitória desde o início. “Ninguém acreditava, sabiamos que era uma luta de Davi contra Golias. Um ratinho contra um leão, no entanto, estavamos confiantes e acreditavamos que poderiamos sair vitoriosos, como de fatos aconteceu. A capital foi a responsável pela nossa vitória. No interior só vencemos em Sena Madureira e empatamos em Xapuri. Nas demais cidades perdemos. Em Rio Branco vencemos em todas as urnas”.

Entrevista foi ao ar no Gazeta Entrevista nesta quarta-feira, 24 – Foto: Assessoria

O advogado fez uma leitura do número de abstenções do pleito, que foi de 736. “Em relação as abstenções tem um dado importante. O universo de advogados no Estado é de aproximadamente 3,8 mil. Desse total, somente os que estão com anuidade em dia podem votar. Então, esse universo já cai para 2,2 mil. Desse percentual, vários advogados já não residem no Acre, cerca de 300. Porém, o número de votantes nessa eleição foi surpreendente. Na última eleição só votaram 900 advogados. E nessa eleição votaram mais de 1, 7 mil. Tivemos uma votação recorde em toda história da OAB Acre. Isso talvez ocorreu pelo fato de estamos há quase uma decáda sem disputa”.

Cordeiro também destacou como a OAB irá se posicionar politicamente. “A política está na vida de todos. O que não pode ter dentro da OAB é política partidária, isso tem que estar longe da entidade. Costumo dizer que: quando a política partidária entra pela porta da OAB a institucionalidade sai pela janela. Dentro desta questão, temos que nós atentar a assuntos relevantes a sociedade”.

Socorro Rodrigues falou o que a ruptura de uma sequência na gestão da Ordem traz de responsabilidade para a nova diretoria. “Essa ruptura significa muita responsabilidade. Os advogados atenderam ao nosso chamado, as nossas propostas, principalmente de alternância. Então, essa responsabilidade aumenta pra gente. Teremos um grande desafio. Depois da vitória, vamos ao trabalho. Colocar em prática nossas promessas de campanha para podemos efetivar tudo isso quando tomamos posse”, finalizou.