Pular para o conteúdo
operação contágio

PF investiga fraudes em licitações na prefeitura de Plácido de Castro; vereador de Rio Branco também é alvo

A investigação identificou na prefeitura à época dos fatos uma espécie de gabinete de compras paralelo ao da secretaria de compras e licitações, sendo que seus integrantes sequer pertenciam aos quadros do município.

Foto: Assessoria/PF

A Superintendência Regional da Polícia Federal no Acre deflagrou, nesta sexta-feira, 5, a Operação Contágio II, que investiga irregularidades em licitações ocorridas no primeiro semestre de 2020, no município de Plácido de Castro/AC. Um vereador de Rio Branco cujo nome não foi divulgado pela PF também é alvo da investigação por suspeita de participação no esquema e, nesta manhã, os policiais federais fizeram buscar no gabinete do parlamentar.

De acordo com a PF, um dos contratos investigados – no valor de mais de meio milhão de reais – visava a compra de equipamentos de proteção individual (EPI’s) para profissionais da saúde que atuavam no combate à pandemia da COVID-19.

A investigação identificou na prefeitura, à época dos fatos, uma espécie de gabinete de compras paralelo ao da secretaria de compras e licitações, sendo que seus integrantes sequer pertenciam aos quadros do município.

Foto: Assessoria/PF

Foi apurado também que os objetos adquiridos no procedimento não foram armazenados no depósito da Secretaria de Saúde do município, o que impediu qualquer tipo de controle sobre a quantidade e qualidade dos produtos.

Chamou a atenção dos investigadores o fato de que, na sede da empresa vencedora, foram encontradas notas fiscais que demonstram grande diferença entre o valor de aquisição dos produtos e os preços fornecidos à prefeitura. Alguns objetos chegaram a ser vendidos pelo dobro do valor.

O nome da operação, “CONTÁGIO II”, faz referência ao fato de que o objeto de contrato investigado é justamente a compra de materiais EPI’s, que visam evitar que profissionais de saúde sejam contagiados pelo vírus da Covid-19.

Vereador rebate

Em nota divulgada à imprensa, o vereador Fábio Araújo (PDT) declarou que está à disposição da justiça e acompanhou pessoalmente as buscas da Polícia Federal. Confira na íntegra a nota:

Sobre a operação da PF em meu gabinete parlamentar na manhã desta sexta-feira, 05, tenho a declarar que nada tenho a temer. Estou e sempre estive à disposição da verdade e da justiça.

Não fui alvo de mandado e sequer fui notificado.

Assim que fiquei sabendo, informalmente, que os agentes estavam no meu gabinete, cumprindo o mandado, fiz questão de acompanhar pessoalmente.

Eles tiveram acesso aos nossos computadores e realizaram buscativa por documentos, mas nada foi encontrado.

Vale ressaltar que já solicitei por mais de uma vez a oitiva junto ao delegado que preside o inquérito e até o momento não tive retorno.

Sigo firme!

Fábio Araújo
vereador