Pular para o conteúdo
categoria até 85kg

Acreano Enoque Ferreira conquista medalha de ouro no 31° Campeonato Brasileiro de Kungfu Wushu

Em 2017 Enoque havia conquistado o título de vice-campeão brasileiro de Kungfu Wushu, em Cuiabá, e agora, se consagra novamente campeão com a medalha de ouro

Em 2017 Enoque havia conquistado o título de vice-campeão brasileiro de Kungfu Wushu, em Cuiabá, e agora, se consagra novamente campeão com a medalha de ouro (Foto: Arquivo pessoal)

Único representante do Acre no 31º Campeonato Brasileiro de Kungfu Wushu, o acreano Enoque Ferreira conquistou a medalha de ouro na categoria até 85 quilos. A disputa foi realizada no último fim de semana, em Brasília.

Morador do Montanhês, bairro carente de Rio Branco, Enoque Ferreira, tem 26 anos, e é atleta profissional. Ele já detinha o título de vice-campeão brasileiro de Kung Fu wushu. Pelas redes sociais, ele agradeceu o apoio de sua equipe, familiares e patrocinadores, no momento histórico que garantiu ao Acre o lugar mais alto do pódio.

“Só tenho a agradecer a Deus por essa vitória e, segundo, um agradecimento especial ao meu mestre Adgferson Pitt Bull que me fez enxergar a luta de outra forma e fui começando a me achar no combate com as orientações e visão de luta dele. Essa parte fez toda a diferença na minha vida, e o meu amigo capitão Israel Chagas, você foi presente de Deus meu amigo aqui em Brasília, você fez toda diferença, levou nós pra todo canto foi buscar foi deixar, e quando eu precisei de você na luta você estava lá do meu lado olhando no meu olho. Muito obrigado, Capitão. Estava muito forte e não sabia, muito obrigado”, disse Enoque Ferreira pelas redes sociais.

Ele também agradeceu sua equipe, família, amigos, e patrocinadores. “Foram muito importantes nessa minha trajetória até o campeonato brasileiro de kung Fu, em Brasília. Estou muito feliz por ter representado o Acre e ter trago o nosso e meu tão sonhado OURO “, finalizou.

Veja a luta que garantiu a ele a vitória:

Conheça a trajetória de Enoque: Do bullying ao tatame: lutador há mais de 10 anos, acreano busca apoio para participar de campeonato nacional de Kungfu