Pular para o conteúdo
Pela segunda vez

ONG acreana SOS Amazônia é premiada como uma das 100 melhores ONGS do Brasil, de 2021

O "Prêmio Melhores ONGs" reconhece ogranizações de todo o país por boas práticas em quesitos como governança, transparência, comunicação e financiamento

A ONG SOS Amazônia completou 33 anos em setembro de 2021. (Foto: André Dib)

Pela segunda vez, a ONG SOS Amazônia está na lista das 100 melhores do país do “Prêmio Melhores ONGs”. Ao todo, foram 1033 organizações inscritas neste ano e o resultado foi divulgado nesta semana. A SOS Amazônia, que compeltou 33 anos neste ano,  é a única entidade do estado presente na lista e chegou a integrar a lista na premiação de 2017.

O prêmio é realizado por O Mundo que Queremos, Instituto Doar e Ambev VOA, com apoio de pesquisadores da Fundação Getúlio Vargas (FGV), do Instituto Humanize e do Canal Futura. A seleção dos vencedores foi feita a partir de cinco grandes temas transversais que permitem a verificação das condições de transparência e gestão nas organizações: Causa e Estratégia de Atuação; Representação e Responsabilidade; Gestão e Planejamento; Estratégia de Financiamento; Comunicação e Prestação de contas.

Os destaques nas categorias especiais por área de atuação e melhor ONG entre todas serão conhecidos durante a cerimônia oficial de premiação, marcada para o dia 9 de dezembro, às 18h, com transmissão pelo Canal Futura no YouTube. A novidade deste ano é o reconhecimento da melhor ONG de cada estado — além das 100 melhores, já são reconhecidas a melhor de cada causa, as dez melhores de pequeno porte e a melhor entre elas.

Defendendo a economia sustentável, a Organização aponta que o aprendizado com as comunidades tradicionais e os povos originários é um fator crucial para manter seu propósito, respeitando toda e qualquer forma de vida. O diretor técnico da instituição, Álisson Maranho, comenta a rigorosidade do processo de inscrição e avaliação do prêmio. Em duas etapadas, a inscrição exige o preechimento de um extenso questionário, com documentos que comprovem tudo o que foi informado, que vai desde planos de comunicação, relatórios de auditoria e planos de gestão de projetos, até planos de captação de recursos e gestão financeira, técnica e administrativa.

“Essa premiação mostra a capacidada que temos de cumprir nosso trabalho e nossa missão institucional. Esse reconhecimento pode trazer benefícios para a SOS e atraindo mais pessoas para conhecer e apoiar nosso trabalho, por saberem que a instituição tem esse tipo de reconhecimento”, comemora Maranho.

A SOS Amazônia trabalha com iniciativas para promover o desenvolvimento alinhado a três objetivos estratégicos: Negócios Florestais Sustentáveis; Mudanças climáticas e restauração da paisagem florestal; Política, governança e proteção da paisagem verde. Atualmente, a ONG executa cinco projetos, entre eles o “Nossabio – Territórios Conservados”, que promove a consolidação de Unidades de Conservação no Acre e Rondônia, com foco no fortalecimento da governança de cada unidade e no incremento da produção sustentável. Para conhecer mais sobre este e os outros projetos, acesse o SITE.

Maior torcida do Brasil
Outra novidade desta edição é que, pela primeira vez, a ONG que engajar o maior número de pessoas na torcida também será reconhecida. É a campanha “Maior Torcida do Brasil”, que convoca as 100 melhores a chamar seus apoiadores para acompanhar a cerimônia de premiação, mostrando também que elas têm muita gente engajada com seus trabalhos.

O Prêmio
O Prêmio Melhores ONGs é realizado por O Mundo que Queremos, Instituto Doar e Ambev VOA, com apoio de pesquisadores da Fundação Getúlio Vargas (FGV), do Instituto Humanize e do Canal Futura. Reconhece, desde 2017, o trabalho fundamental prestado pelas instituições não-governamentais no Brasil e também funciona como um farol para orientar doações, alcançando grande visibilidade no setor, na medida em que se consolida como a principal referência em ONGs no país. A intenção, além de reconhecer a relevância dos trabalhos prestados, é incentivar boas práticas, contribuindo também para a melhoria na gestão de todas as participantes, incluindo as que não são premiadas.