Pular para o conteúdo
Veja o vídeo

Homem é acusado de jogar namorada de carro em movimento

Câmeras de segurança de um estabelecimento comercial, localizado na Avenida Antônio da Rocha Viana, flagraram a estudante Emely Juliana, de 22 anos, caindo de um veículo em movimento. Ela diz que foi empurrada pelo namorado, que brigava para pegar o celular dela

Ela acusa Lucas Oliveira de ter acelerado o carro e a empurrado do veículo ainda em movimento, após uma briga do casal

Na madrugada do último domingo, 26, câmeras de segurança de um estabelecimento comercial, localizado na Avenida Antônio da Rocha Viana, flagraram a estudante Emely Juliana, de 22 anos, caindo de um veículo em movimento. O carro era conduzido pelo jovem Lucas Oliveira, de 26 anos, namorado da vítima.

Após o ocorrido, divulgado três dias depois na internet, Juliana foi socorrida, recebeu atendimento médico, e, em seguida, registrou queixa na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). A medida protetiva a favor da jovem foi expedida na segunda-feira, 27.

Ela acusa Lucas Oliveira de ter acelerado o carro e a empurrado do veículo ainda em movimento, após uma briga do casal. Emely relatou que ela e o namorado estavam na casa de um amigo do pai dela, quando ele pediu para olhar o celular dela, o que foi recusado pela estudante. Ocasião em que eles se desentenderam e foram embora do local.

“Eu pedia para ele parar o carro, mas ele não parava, ficava dando voltas no carro, e isso ele tentando pegar meu celular. Eu não conseguia ligar pra ninguém porque toda vez que eu pegava meu celular, ele tentava puxar. Até que ele reduziu como se fosse parar, eu abri a porta e então ele acelerou muito rápido, e quando eu fui tentar fechar a porta com medo de cair, eu senti o empurrão. Ele, em nenhum momento, tentou me ajudar, ele desceu do carro e foi logo pegando meu celular”, relatou a estudante.

Lucas alega que foi a namorada que se jogou do carro em movimento

O advogado de Lucas, Fábio Santos, salientou que ele nega ter cometido o crime e afirmou que a estudante estaria alcoolizada e que teria se jogado do veículo. A defesa também contesta o vídeo apresentado, dizendo que a edição está acelerada, e que outras imagens, que comprovam a inocência de seu cliente, serão entregues na delegacia.