Pular para o conteúdo
tentativa de feminicidio

‘Só pensava nos meus filhos’, diz jovem que quase foi morta a golpes de terçado pelo marido

Mulher relata detalhes de quando foi atacada pelo marido a golpes de terçado, no último domingo. Golpeada em várias partes do corpo, ela está hospitalizada, sem previsão de alta. Família faz campanha para ajudar nos gastos do tratamento e no sustento dos dois filhos da jovem, de 3 e 9 anos

Três dias após quase ter sido morta pelo marido a golpes de terçado, a balconista Fernanda Neiva Freitas, de 29 anos, está se recuperando bem, mas ainda não tem previsão de alta médica. Ela foi golpeada em várias partes do corpo, como cabeça, costas, braços, e barriga, e teve fígado e pulmão atingidos, mas, apesar de estar fora de perigo, seu estado de saúde ainda é delicado, e ela segue internada, em uma unidade hospitalar de Rio Branco.

Em entrevista ao site A Gazeta do Acre, ela contou que, no domingo, 19 de dezembro, o filho mais novo, de 3 anos, apresentou febre e, ao procurar o valor de R$ 200, que havia guardado, com objetivo de comprar remédio, não encontrou a quantia. Ela havia ganho o valor como bonificação na panificadora em que trabalha e decidiu guardar em casa para emergências.

Assim, ela foi a um bar no bairro Chico Mendes, onde vive, em busca do marido, Carlos Alberto de Souza Lima, 29 anos, onde iniciaram uma discussão. “Fui atrás dele, ele tava ‘morto’ de bêbado. Depois que fui embora, ele se escondeu e me atacou com um terçado. [Só pensava] nos meus filhos. Medo de não ter uma segunda oportunidade de estar com eles, porque o meu [filho] mais velho já não tem pai, e ele me disse ‘tenho tanto medo de perder a senhora, mãe'”, conta Fernanda, emocionada.

Se recuperando bem das agressões que quase ceifaram sua vida, ela conta que esta foi a segunda vez que o marido a agrediu, no período de mais de três anos em que estiveram juntos. Agora, apesar da grande mistura de sentimentos, ela se diz grata pela nova oportunidade dada por Deus e faz planos para o futuro.

“Meu futuro será brilhante com meus filhos e, se um dia arrumar alguém pra minha vida, será um homem que me ame, cuide de mim e me respeite, em nome de Jesus”, diz Fernanda, que fez questão de deixar uma mensagem para outras mulheres que sofrem relacionamentos abusivos: “Não se prendam em relacionamentos abusivos, porque nem todas tem a chance que eu tive [de sobreviver]”, finaliza.

Campanha de arrecadação

Com os gastos não previstos com a compra de remédios para continuar o tratamento, e também para garantir o sustento dos dois filhos da balconista, de 3 e 9 anos, que estão aos cuidados de terceiros, familiares e amigos da jovem iniciaram uma campanha de arrecadação, com objetivo de angariar fundos.

Além dos remédios para a própria recuperação e produtos de higiene pessoal, a maior preocupação de Fernanda é com a alimentação das crianças, por isso, doações de qualquer valor são bem-vindas e podem ser feitas por meio da chave PIX (68) 99613-5904, número que também pode ser discado para mais informações.

Até o momento, o acusado não foi preso.