Pular para o conteúdo
crime de tortura

Justiça aceita denúncia e acusado de torturar Nego Bau vira réu

Nego Bau sofreu uma parada cardíaca e morreu no dia 15 de janeiro, no Pronto-Socorro de Rio Branco, onde estava internado estado de saúde gravíssimo

Suspeito está preso desde abril de 2022 (Foto: Reprodução/Redes sociais)

A 3ª Vara Criminal de Rio Branco aceitou a denúncia do Ministério Público do Acre (MPAC) e o borracheiro Jefson Castro da Silva, de 39 anos, se tornou réu pelo crime de tortura cometido contra o morador de rua Renan Ameida de Souza, mais conhecido como Nego Bau.

O acusado foi identificado e preso após quase cinco meses de investigação, em abril de 2022. Ele possuía mandado de prisão e estava foragido até que policiais civis conseguiram localizá-lo em uma oficina mecânica e deram voz de prisão, conduzindo o acusado até a Delegacia de Flagrantes para os procedimentos de praxe.



Conforme denúncia, no final de dezembro de 2021, em uma casa na Rodovia AC 40, Km 10, o acusado constrangeu a vítima, com o emprego de violência e grave ameaça, causando sofrimento físico e mental, com o fim de obter confissão. O fato, ainda conforme a denúncia, resultou em lesão corporal de natureza grave.

Vídeo registrou a tortura sofrida por Nego Bau (Foto: Reprodução)

Na época dos fatos, em dezembro de 2021, um vídeo que circulou nas redes sociais mostrava Nego Bau pedindo desculpas, logo após ter o seu dedo decepado com um terçado pelo investigado. O golpe certeiro removeu o seu dedo polegar completamente. Dias após o fato, Bau sofreu uma parada cardíaca e morreu no dia 15 de janeiro, no Pronto-Socorro de Rio Branco, onde estava internado estado de saúde gravíssimo.

Ao receber a denúncia contra o acusado, o juiz Raimundo Nonato Maia estabeleceu o prazo de 10 dias para que ele responda às acusações. Só então deve ser marcada a audiência de instrução e julgamento.

error: Conteúdo protegido!!!