A Casa Civil precisa entender que o Parlamento Acreano não é a “casa da mãe Joana”, diz Jenilson Leite – Jornal A Gazeta

A Casa Civil precisa entender que o Parlamento Acreano não é a “casa da mãe Joana”, diz Jenilson Leite

Em pronunciamento na sessão desta quarta-feira, 18, o vice-presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Jenilson Leite (PSB) disse que a derrubada dos oito vetos do Governo do Estado a projetos apreciados e votação no plenário do Poder Legislativo não é para ser vista como uma afronta ao Executivo. Os vetos foram votados durante sessão extraordinária realizada na última terça-feira, 17, e rejeitados por unanimidade pelos parlamentares.

O deputado salientou que a Casa Civil precisa entender que o parlamento acreano não é a “casa da mãe Joana”. “O que aconteceu ontem nesta Casa não foi para destruir o governo de Gladson, mas para que o Executivo seja respeitado na sua independência. Nós decidimos por unanimidade derrubar os vetos do governo não para afrontá-lo, apenas queríamos que o que foi acordado entre os poderes fosse cumprido. A Casa Civil precisa entender que este parlamento não é a casa da mãe Joana”, disse.

O parlamentar também elogiou a postura do líder do governo, deputado Luís Tchê (PDT), durante o processo de votação dos vetos. “O líder do governo está de parabéns por ter votado pela derrubada dos vetos, dessa forma ele terá mais condições de ajudar o governo tendo o respeito desta Casa. Parabéns a todos os deputados pelo dia de ontem, por ajudar no fortalecimento deste parlamento acreano”, enfatizou.

Jenilson Leite falou ainda da agenda que cumpriu no último final de semana em Assis Brasil. Ele destacou a visita que fez juntamente com a vereadora Toinha (PCdoB) ao hospital do município onde constatou problemas como a falta de médico, enfermeiros, materiais necessários para os procedimentos médicos e a falta de medicamento.

“Dentre esses problemas, detectamos outro que os pacientes clamam por uma solução. É que os leitos da enfermaria ficam de frente e próximo ao cemitério da cidade, sendo que sequer tem uma cerca que impeça os internados de visualizar o ambiente fúnebre. Um paciente que está doente e olha diariamente para um cemitério terá sérios problemas psicológicos, o que vai acarretar a piora do quadro clínico. Peço que o governador coloque pelo menos uma cerca de compensado para tirar aquela visão”, salientou.

O deputado pediu ainda que o governo do Estado providencie a substituição da bandeira do Acre localizada na Gameleira, tendo em vista que a mesma se encontra rasgada.

Assuntos desta notícia