Agronegócio no Acre pode atrair bandos de javaporcos, alerta pesquisador – Jornal A Gazeta

Agronegócio no Acre pode atrair bandos de javaporcos, alerta pesquisador

No início da semana, o pesquisador e engenheiro florestal Ernesto Massyuki Sawaeda emitiu um alerta ao Governo do Acre. Com a abertura da nova fronteira agrícola proposta por Gladson Cameli (PP), o Acre pode sofrer com um animal, considerado predador das lavouras no Sudeste e Centro-Oeste do País, o javalis selvagens.

O pesquisador acrescenta que a chegada ao Acre, atraídos pelo crescimento das lavouras na região do Alto e Baixo Acre, é questão de tempo. Nesse sentido, o alerta é para que um plano de atuação seja estudado a fim de não expor os produtores rurais a prejuízos.

“Caso esses animais cruzem o rio Madeira qualquer produção de grãos aqui estará comprometida. Um bando deles devasta, por dia, 40 hectares de plantação sem muita dificuldade”, destaca Massyuki.

Conhecidos por andar em grandes bandos, os javaporcos, pois derivam do cruzamento de porcos domésticos com javalis, ameaçam além de lavouras, áreas de preservação ambiental e cidades pequenas. Municípios como Capixaba e Acrelândia teriam sérios danos, isso porque o núcleo urbano é pequeno diante das imensas fazendas que se formaram ao longo dos anos. Sem barreiras naturais, um plano para conter o avanço é necessário. (Com informações do Blog do Evandro Cordeiro).

Assuntos desta notícia