Alerta aos vermelhos – Jornal A Gazeta

Alerta aos vermelhos

“A ausência de unidade, mentora de inúmeras

derrotas da oposição, nesse cenário não se

confirmará como problema nesse campo”

 

Ulysses não bate Gladson no campo da oposição, mas será uma arma perigosíssima contra a Frente Popular no segundo turno.
E por qual motivo? Pelo mais elementar deles: Ulysses virá na alça de Bolsonaro, atraindo o que há de mais pesado no campo do antipetismo.
E sendo assim, os votos de Ulysses, como parece bem óbvio, cairão esmagadoramente na cesta do Gladson no segundo turno.
Alguns dirão que não é bem assim, sustentando que Marcus goza de alta imunidade no tocante ao antipetismo.
Mas é aí que mora o perigo, posto que no campo de votos do Ulysses, e nem duvidem, Marcus não tem nenhuma imunidade.
E tem mais: Ulysses será bem votado. E mais ainda porque o tema segurança pública será a pauta dominante do início ao fim da disputa.
Se Gladson colar demais em Marcus e deixarem o Ulysses bolsonariano por aí, o jogo poderá complicar muito.
Ou a FP acorda e se liberta da ilusão de que vencerá apenas com os vexames do Gladson ou podem ir se preparando para o pior.
E, para finalizar, o mais grave ainda: a ausência de unidade, mentora de inúmeras derrotas da oposição, nesse cenário não se confirmará como problema nesse campo. O motivo é a lógica exposta acima.
Ou seja: a oposição pode acertar sem querer dessa vez, e mais ainda, se a FP seguir ignorando a necessidade de colocar o bloco na rua, como se diz no popular, com sangue nos olhos.
Gladson, por sua vez, segue sambando, entre um gole e outro, sabendo que no ‘cantil’ do Ulysses ainda tem muita água pra rolar.
Acooorda Frente Popular.

 

* Edinei Muniz é advogado.

Assuntos desta notícia