Andiroba, copaíba e sangue de dragão serão matéria-prima de lenços utilizados pela Nasa, revela Dr. Raiz – Jornal A Gazeta

Andiroba, copaíba e sangue de dragão serão matéria-prima de lenços utilizados pela Nasa, revela Dr. Raiz

No começo de março, uma indústria farmacêutica entrou em contato com Raimundo Nonato da Silva, o famoso ‘Doutor Raiz’, para comprar óleo de andiroba, copaíba e sangue de dragão. Ao todo, a empresa adquiriu 10 litros de cada produto.

Porém, o intuito da compra deixou o Doutor surpreso. É que os óleos dessas três plantas serão utilizados na fabricação de lenços umedecidos utilizados pelos astronautas da Nasa.

“Eles mandaram pessoas para colherem amostras dessas plantas na Amazônia. Foi encontrada uma pureza no nosso sangue de dragão, na copaíba e na andiroba. Me falaram que uma indústria farmacêutica internacional está fabricando lenço umedecido para os astronautas utilizarem durante as longas caminhadas”.

Para o alquimista da floresta, como é chamado, a novidade comprova o poder das plantas medicinais, utilizadas não somente para tratamentos de doenças, mas para a fabricação de outros produtos, como pomadas e lenços umedecidos.

“Fiquei muito emocionado nesse dia porque muitas pessoas zombam do uso da copaíba, da andiroba e do óleo de dragão, que possuem um alto poder medicinal. E pessoas estudaram que essas plantas são as únicas capazes de dar um banho numa pessoa que não pode tomar um banho normal, como um astronauta”.

Segundo o Dr., a indústria mostrou interesse em fechar contrato para que a Casa das Plantas Medicinais Milagres da Floresta seja a única fornecedora desses três produtos. Ele ressalta ainda que a andiroba já é utilizada na fabricação de uma pomada utilizada para cicatrização de tatuagens.

Trabalhando com plantas medicinais há 33 anos, Raimundo Nonato já testemunhou a cura de pessoas desenganadas pelos médicos. Ele viu feridas que pareciam não cicatrizar, fechar apenas com o uso de óleos naturais. Por isto, revela com exclusividade ao A GAZETA, que começou a escrever um livro sobre as histórias de cura que presenciou ao longo dos anos. “Ainda é cedo, mas pretendo lançar em 2018”.

FOTO – BRUNA MELLO/A GAZETA

 

Assuntos desta notícia