As redes sociais na vida das pessoas – Jornal A Gazeta

As redes sociais na vida das pessoas

Neste século XXI, em cada novo dia, as redes sociais estão mais presentes na vida das pessoas. Elas invadiram a vida social e familiar. Elas são, atualmente, sem sombra de dúvidas, o maior instrumento de troca de informações existente no universo, sua velocidade e sua praticidade possibilitam a interação instantânea entre usuários do mundo todo.

Mas, afinal, até onde elas podem influenciar a sociedade? É possível ter noção da sua força? São elas, apenas, simples aplicativos que permitem a troca de ideias e fotos, bate papo, onde se procura por amigos e colegas de escola e se promove encontros, incentivando relacionamentos?

Para responder a tantos questionamentos, dizemos que elas permitem uma nova maneira de participação da sociedade, com interessantes aplicativos que dão suporte e facilitam os relacionamentos, com intensa e diversificada participação de milhares de pessoas, de olhos nas mudanças no mundo, mas em um mínimo espaço de tempo, tudo muito rápido, em um clique apenas.

Essas redes sociais não se limitam mais, somente, aos relacionamentos, mas também como fonte de pesquisa e notícias, tendo como atributos a interatividade e participação, possibilitando não só o acesso à informação, mas a capacidade de produzi-la. Sendo assim, as redes mostram a sua importância, deixando de lado tempo e espaço, influenciando o destino de milhares de pessoas, através da rápida disponibilização de informações relevantes, de forma que muita gente usufrui desses ambientes virtuais, atuam neles com grande intensidade e frequência. Há quem faça verdadeiros diários de atividades.

Também, as redes sociais são palco de grandes manifestações e mobilizações, como vivenciamos, aqui, no Brasil, os agrupamentos humanos que se formam nas cidades brasileiras a favor do Governo do PT ou contra o Governo do PT. Esse tipo de manifestação repercute nas ações dos poderes da República, no sentido de resguardar a opinião do povo, fazê-las ouvidas.

O público das redes sociais não as utiliza somente para se comunicar, distrair, divertir e jogar; ele também consome informação, serviços e produtos! As redes sociais podem trazer inovação e novos moldes de serviços para as companhias. Unindo a linguagem informal, conteúdo multimídia e interação social, elas podem se tornar uma poderosa ferramenta de comunicação e publicidade. Também mudam comportamentos de vida, hábitos, costumes.

Enfim, a importância da internet é atualmente indiscutível, a sua relevância para o mundo, o seu efeito multiplicador, o seu uso universalizado por sites, blogs, redes sociais, aplicativos entre tantas outras artimanhas proporcionadas por ela. Porém, “nem tudo são flores” o uso indevido deste que hoje pode ser chamado de elemento de integração social, vem causando diversos danos sociais. É preciso ter atenção e cuidado, da maneira com cria e produz destrói e vicia.

DICAS DE GRAMÁTICA

 

AFIM E A FIM, COMO USAR, PROFESSORA?

Afim – Uma palavra que pode ser tanto um adjetivo quanto um substantivo. Sendo adjetivo, é sinônimo de semelhante, parecido, similar, análogo, próximo. Como substantivo é sinônimo de parente por afinidade, aliado, adepto, entre outras. Exemplos:

O francês é uma língua afim com o português.

Nesta fase da vida, eu e você não temos objetivos afins.

A fim de – Locução prepositiva é um conjunto de duas ou mais palavras em que a última é uma preposição. De modo que, a fim de exprime intenção ou finalidade, sendo sinônimo de para, com o propósito de, com a intenção de, entre outras. Abaixo alguns exemplos. São eles:

Os Mugs fizeram um grande ensaio a fim de uma magnífica apresentação no baile da UFAC.

João, a fim de conquistar os seus objetivos, não mediu esforços nos estudos.

——————————–

Luísa Galvão Lessa Karlberg – É Pós-Doutora em Lexicologia e Lexicografia pela Université de Montreal, Canadá; Doutora em Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; Mestra em Letras pela Universidade Federal Fluminense; Pesquisadora DCR/CNPq; Membro da Academia Brasileira de Filologia; Membro perene da IWA; Presidente da Academia Acreana de Letras.

 

Assuntos desta notícia