Cláudio Porfiro – Jornal A Gazeta
  • É preciso ensinar a pensar e a agir

    Ide e ensinai aos mais novos da face da Terra a sede da justiça, a sinceridade, a solidariedade e tudo o que lhes faça também propagar por aí afora conhecimentos tais que digam respeito ao relacionamento pacífico entre os humanos. Daí, alguém veio a mim...

  • A descoberta de si próprio

    Viajou por sendas de mil amores, trocou afetos por flores, afora os favores e as delícias e a volúpia que é ser feliz como o destino quis. Deu cambalhotas, fez piruetas, se envolveu em mil tretas, mas, ademais, amou como poucos o conseguiram.             Viveu amor...

  • Alguma vaidade; orgulho comedido

    Escorreguei o corpo suado doído e dormi por sobre as raízes da vaidade. É árvore frondosa e bela, travesseiro muito duro, posto que exige de todos e de cada um sempre e muitos dispêndios materiais, além daqueles que se relacionam à alma. Passaram-se horas a...

  • A dois passos do mais doce abismo

    Estas mal traçadas linhas constituem uma crônica melíflua demais e, por assim dizer, poderia ser chamada trezentos dias sem ela. Talvez até venha a se transformar em roteiro de filme estilo água com açúcar. Nunca se sabe quantos repiquetes ainda passarão por debaixo da ponte, afinal, hoje,...

  • Aos pais que são mães, e vice-versa

    Num daqueles dias mornos de outono, o homem, exausto, levou a mão à testa e de lá verteu suor em bicas. O campo vasto de capim gordura serviria, mais tarde, para a confecção de colchões de dormir para aquela gente sem vintém e sem cobre....

  • Poética da liberdade: relatos de um fugitivo

    Para um homem sozinho, o sonho da liberdade pode ser a luta correspondente ao transcurso de toda uma vida. Para um povo-nação, diferentemente, tal demanda pode equivaler a séculos de tentativas, insucessos, interlúdios de conquistas, golpes e contragolpes. Os relatos de Andrés Alarcon são de...

  • O livro do óbvio segundo a inominável Prima Louise

    Em verdade vos digo. Choro um olho e lacrimejo o outro. Por ela os meus sinos dobram, a poesia flui, o para-choque enrijece e os sonhos se tornam muito úmidos, ou até melados mesmo. Creio até que não é nenhum pecado esticar os olhos, e...

  • Acordes de uma balada fria

    Vivi e vi por aí afora gentes e pessoas. As primeiras estavam sempre acordadas, vibrantes e aguerridas, e as segundas sempre a quase dormir, como se não fossem deste plano material. Enquanto muitas vêm para a vida cheias de atitudes, como se estivessem em um...

  • Sorria! Você está sendo filmado

    É oportuno misturar fatos quadrados a personagens redondos. Há os que gostariam de uma análise, aqui, a respeito do fenômeno que representam as academias de ginástica e as suas relações com a modernidade. Há outros que cogitam a possibilidade de um comentário acerca das complicações...

  • Body pump, silicones e afins

    Menina meiga, doce e bela, no seu passinho curto de princesa, desfila pela academia para cá e para lá, nos intervalos dos exercícios de musculação, ou antes do elíptico, da seção de bike ou da aula de body pump. Durante toda a tarde, ao seu lado, segue...