Cláudio Porfiro – Página: 10 – Jornal A Gazeta
  • Das voltas que o mundo dá

    Não há esmeraldas cor de carne. Elas são verdes, sim, como a realidade pulsante, nua e crua dos que plantam sementes e colhem flores ou frutos abundantes. Somente em pesadelos envoltos em sangue, tal ocorrência poderia ser registrada, posto que os sonhos acordados que alguns...

  • As vísceras azedas do legendário patriarca

    O pai nascera nos arredores de Birmingham, UK. Ainda em criança, foi mandado para as minas de carvão de Sir Steve Golden. Escravizaram-no por anos a fio. De lá, saiu depois dos trinta. Dois anos mais tarde, já sabia ler e havia retirado completamente toda...

  • Morena clara alta cabelos iluminados

    A cidade regurgitava àquela hora da tarde. Carros sacolejavam sobre a rua de pedra lascada. Buzinas, freadas, apitos. Um homem gritava a plenos pulmões comprando e vendendo ouro a preço de banana. Policial soturno olhava para a multidão com zelo fingido. O bonde estava quase...

  • Refresca o vento sopra calma a maresia

    Em meio a uma ainda quase bêbada preguiça crucial, como sempre, transcorriam aqueles dias pós-carnavalescos, mas as águas de março, meio lerdas àquelas alturas, ainda não haviam feito o barraco ir ou vir a pique, até porque não existia barraco e o endereço na zona...

  • Relíquias do tempo do voar mais alto

    Entre as fendas da rocha preta, no alto de um penhasco, o juazeiro velho e solitário enfiou as garras como a jaguatirica enfia as raízes em carne maciça. O pouso se faz já de olhos fechados desde há mais de um século. Cá de cima...

  • No tempo em que o Amor morreu

    Quando a última folha outonal  do galho se desprendeu, um vaso grego ou chinês do armário desabou. Na lápide marmórea, a estátua monótona de um anjo torto tombou de lado. Do teto de gesso antigo, um alabastro se soltou e no chão virou mil pedaços....

  • Morena clara alta cabelos iluminados

    A cidade regurgitava àquela  hora da tarde. Carros sacolejavam sobre a rua de pedra lascada. Buzinas, freadas, apitos. Um homem gritava a plenos pulmões comprando e vendendo ouro a preço de banana. Policial soturno olhava para a multidão com zelo fingido. O bonde estava quase...

  • “Eu não casaria comigo”.

    Naquele ambiente, todos o respeitavam, quase sem exceção. Não construíra inimigos, pelo menos declarados. Andava de par com a serenidade da coleção de primaveras vividas desde meados do século anterior. Distribuía sorrisos e alguns galanteios para as agentes do belo sexo que sempre bem merecem. ...

  • Esta nossa abençoada juventude boêmia

    Plantaram no âmago daquela alma insana, e pouco ingênua, algumas sementes de arbusto parente destes que enverga, mas não quebra. Nasceram-lhe galhos descomunais, tais e quais os da castanheira bicentenária, única a não ceder para o rio que tudo arrasta, numa alusão a Brecht. Folhas e...

  • As matrizes dos nossos sonhos mais concretos

    Tão rápidas as décadas se passaram e nós sequer envelhecemos. Muito bom. Extraordinário. Também, pudera. Não fizemos por onde. Ocupamo-nos muito, sim. Talvez até tenhamos rejuvenescido, em vista dos ventos apanhados vindos da floresta mágica. As épocas foram tão corridas que, para muitos, nunca houve tempo para...