Edinei Muniz – Jornal A Gazeta
  • Ainda sobre a Amazônia 

    A Amazônia segue vítima do calor. Digo, do calor dos debates de verão, por tradição, alimentados por fortes estiagens, mato seco e fogo. Os dados atuais, extraídos do fogo dos debates, indicam a repetição da média histórica das últimas duas décadas. A desproporcionalidade ficou por...

  • Do Alto Rio Tejo para as maiores galerias de arte do mundo

    Da infância pouco se sabe. Dizem que ele deixou o Acre ainda jovem, talvez aos oito ou quinze anos de idade. Era exótico e ambíguo. Chamava-se Francisco Domingos da Silva. Mas no “glamour” das mais badaladas galerias de arte do mundo era “Un indien brésilien...

  • Mais polêmica à toponímia do Acre

    A Toponímia do termo “Acre” já fez brotar debates acalorados. Faz parte e faz bem! Debates são sempre salutares e necessários! A peleja acadêmica parece querer posicionar, com alguma inclinação de divergência, dois grupos de compreensão envolvendo os sentidos filosóficos da “identidade acreana”. Ambos os...

  • O soldado poeta da Revolução Acreana

    Qualquer tentativa ou esforço biográfico que se faça para descrever a trajetória de João Barreto de Menezes que não o qualifique já nas primeiras linhas como um personagem extremamente polêmico, por certo, não estará sendo fiel à história de vida do biografado. João Barreto era...

  • Sobrinho de Antônio Conselheiro foi o primeiro a expulsar os bolivianos de Xapuri

    Quando Manoel Felício Maciel resolveu trocar a aridez do Sertão Cearense para transformar-se num dos primeiros desbravadores das “tierras non descobiertas” do Rio Aquiry e Purus, o “mata lá e mata cá” com a família Araújo, histórico e sangrento conflito familiar envolvendo os Maciéis e...

  • O episódio no Acre que levou Lula ao banco dos réus

    Tudo começou em 21 de julho de 1980, quando foi assassinado o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Brasiléia, Wilson de Souza Pinheiro. Uma semana após a morte, em 27 de julho, o movimento sindical realizou um ato público de protesto em Brasiléia que...

  • A STANDARD OIL E O OURO NEGRO DO JURUÁ

    No início dos anos 30 – e até mesmo antes do começo da Era Vargas – já existiam especulações sobre a possibilidade da existência de petróleo na Região do Juruá, na fronteira com o Peru, no Moa. Em 1931, já circulavam relatórios do Serviço Geológico...

  • A Standard Oil e o ouro negro do Juruá

    No início dos anos 30 – e até mesmo antes do começo da Era Vargas – já existiam especulações sobre a possibilidade da existência de petróleo na Região do Juruá, na fronteira com o Peru, no Moa. Em 1931, já circulavam relatórios do Serviço Geológico...

  • Governador Paulo Torres: o xerife

    Na época do Acre Território, o trânsito de figuras importantes da política nacional não era coisa rara por aqui. Em 2 de março de 1955, em substituição ao então governador Francisco de Oliveira Conde, aqui chegou um desses tantos exemplos. Chamava-se Paulo Francisco Torres, o...

  • Câmeras de “segurança” nas salas de aula geram presunção de desconfiança e são antipedagógicas

    No ambiente da sala de aula não existem estranhos. Os atores do processo de ensino e aprendizagem  são, ao menos em tese – se não, deveriam ser -, por demais conhecidos. Deste modo, instalar câmeras de vigilância nas salas de aula é o mesmo que...