• ARTIGO – Isolamento

    Foi só tempo do marido desencostar da pia para mudar a música que saía do telefone, para ela derramar duas doses a mais de vodka no suco de tomate. No dele? Não, no dela. O marido andava chatíssimo desde o início do isolamento, desde o...

  • ARTIGO – No fundo – lá bem fundo

    Já participou de algum desses aniversários online que a quarentena nos apresentou? Se não, fico feliz por você. Se sim, deve imaginar que vou dar uma reclamadinha, certo? Sabe o que é? É que não faz muito sentido. É confuso, não há muito o que...

  • ARTIGO – Sonho que se sonha só

    Se você guarda qualquer semelhança com a personagem nojinho de Divertidamente, pode ser que prefira parar este texto por aqui. Ficou? Então senta que lá vem história. Segunda-feira passada, vi um meme (horrível) no instagram com a hashtag demodex folliculorum e, em uma atitude de...

  • ARTIGO – Travada

    Esfriou ontem em São Paulo. E se esfria, doem as minhas costas. Doer, elas doem sempre, mas é como se eu me desse ao direito de percebê-las com mais detalhes quando a temperatura cai. Eu quase escuto cada uma das vértebras reclamando espaço. Começa na...

  • ARTIGO – Cadente

    Li – por uma dessas sincronicidades surpreendentes da vida – justamente essa semana, o conto o Homem Cadente de Mia Couto. A história está no livro O Fio das Missangas publicado pela Companhia das Letras. “É Zuzézinho! Está caindo do prédio”. Escuta um narrador que...

  • Tempo mágico

    Lara, minha filha mais velha, definitivamente, não é minha leitora mais assídua. Por vontade própria, não começa nenhuma leitura com a minha assinatura há um bom tempo. Sempre que peço – e quase forço – que escute uma dessas colunas, ela reclama e disfarça dizendo...

  • Maestro Zezinho, uma nota

    O prédio que fica quase em frente ao meu tem uma espécie de terraço no teto que vem sendo usado como palco de shows musicais nas últimas três semanas. A coisa toda fica bem bonita no instagram dos vizinhos. Meio fim de tarde, horizonte de...

  • Achatados

     ROBERTA D’ALBUQUERQUE (*) Estacolunaseráentregue com seis horas de atrasoemrazão da minhadistração total e absoluta. Aproveitoessasprimeiraslinhas para pedirdesculpaspúblicas à santa alma que a editatodas as semanas. Agradeçotambém a paciência e compreensãopelasminhasmuitasoutrasdistrações e atrasosdesde que ‘tudoissocomeçou’ – expressão que aponta entre as maisusadaspormim, nasúltimassemanas, em um empateapertadíssimo...

  • ARTIGO: Amálgama

    Houve um tempo – há um longo tempo – em que trabalhei em um prédio enorme, décimo sexto andar acarpetado, separado por baias de fórmica, onde se espalhavam crachás, cheiro de café, impressoras escandalosas, metas a serem alcançadas, reuniões, reuniões e reuniões. O prédio ficava...

  • Vai passar

    Algum dos meus vizinhos, não sei se do prédio da frente ou do prédio onde moro, põe para tocar uma playlist  – linda e adequada, aliás – sempre que um panelaço, um pronunciamento ou ambos, já que eles costumam vir juntos, se dá. A playlist...