• ARTIGO – E o pós?

    Estive ontem no teatro para assistir a Pós-F. que estreou no último sábado. Estive no teatro desse jeito novo de se ir ao teatro, meio de pijama, em casa, diante do computador. Ainda assim, fez sentido para mim parar para ouvir o texto de Fernanda...

  • ARTIGO – Memória de elefante

    Não sei se tenho recebido com mais frequência, ou se tenho estado mais atenta às notificações de recordação do Google fotos. Fato é que quase todos os dias acordo com as lembranças de um passeio que já pensava não guardar na memória, com sorrisos de...

  • ARTIGO – Violeta

    Minha família por parte de pai é um grupo de excelentes contadores de história. Ele, meu pai, é especialmente habilidoso para fazer um acontecimento qualquer adquirir ares de romance. E, embora repita com alguma frequência as narrativas dos D’Albuquerque de ontem e de hoje, nunca...

  • ARTIGO – O gato subiu na escada

    Eram 10h15 e eu esperava meu analisando das 10h, distraída no sofá do quarto, meu consultório nos últimos meses. Se passam 10 minutos, é bem provável que uma mensagem apareça com o pedido de desculpas pelo atraso. Oi Rô, ainda dá tempo? Se passam 15,...

  • ARTIGO – Fé no café

    Ando aqui no meio de uma negociação chatíssima de venda de um imóvel. A primeira razão de classificá-la como tal é o simples fato de que eu quero vender por um preço e, até agora, todo mundo que quis comprar, quer comprar por outro. Óbvio....

  • ARTIGO – Tu-du-tu-du-tu-du

    A convite da Bayer, conversei hoje com 150 cardiologistas sobre o silêncio. Assim que liguei a câmera, e vi o rostinho de cada uma delas – era um evento dedicado somente às mulheres – lembrei do dia em que ouvi o barulho mais impactante a...

  • ARTIGO – Isolamento

    Foi só tempo do marido desencostar da pia para mudar a música que saía do telefone, para ela derramar duas doses a mais de vodka no suco de tomate. No dele? Não, no dela. O marido andava chatíssimo desde o início do isolamento, desde o...

  • ARTIGO – No fundo – lá bem fundo

    Já participou de algum desses aniversários online que a quarentena nos apresentou? Se não, fico feliz por você. Se sim, deve imaginar que vou dar uma reclamadinha, certo? Sabe o que é? É que não faz muito sentido. É confuso, não há muito o que...

  • ARTIGO – Sonho que se sonha só

    Se você guarda qualquer semelhança com a personagem nojinho de Divertidamente, pode ser que prefira parar este texto por aqui. Ficou? Então senta que lá vem história. Segunda-feira passada, vi um meme (horrível) no instagram com a hashtag demodex folliculorum e, em uma atitude de...

  • ARTIGO – Travada

    Esfriou ontem em São Paulo. E se esfria, doem as minhas costas. Doer, elas doem sempre, mas é como se eu me desse ao direito de percebê-las com mais detalhes quando a temperatura cai. Eu quase escuto cada uma das vértebras reclamando espaço. Começa na...