CF 2019: Fraternidade e Políticas Públicas – Jornal A Gazeta

CF 2019: Fraternidade e Políticas Públicas

O mês de março se inicia com o período de Quaresma, palavra vinda do Latim quadragésima e utilizada para designar o período de quarenta dias que antecedem a festa ápice do cristianismo: a Ressurreição de Jesus Cristo, comemorada no Domingo de Páscoa.

Ela se inicia na quarta-feira de cinzas, quando recebemos as Cinzas e ouvimos o pedido de Jesus: “Convertei-vos e crede no Evangelho” (Mc 1,15), e encerra-se na Quinta-Feira Santa, antes da Missa da Ceia, ao anoitecer.

A Quaresma é um tempo penitencial, oportuno para uma experiência concreta de conversão. Não falamos de uma mudança superficial, mas de uma mudança que nasce de um profundo relacionamento com Deus

E neste período de Quaresma, a cada ano, temos um assunto a ser aprofundado. Neste ano, o tema que nos é proposto pela Igreja no Brasil, nos faz refletir sobre as Políticas Públicas, a necessidade de Políticas que promovam a dignidade humana no Brasil. O tema da Campanha da Fraternidade (CF) 2019: “Fraternidade e Políticas Públicas” dá continuidade ao do ano passado sobre a Paz. O lema nos inspira na Sagrada Escritura e nos posiciona com os olhos no futuro: “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Profeta Isaías 1, 27).

Cabe à Igreja, em sua missão de anunciar Jesus Cristo, e como consequência, chamar a sociedade a ser mais justa; favorecer o diálogo e a ação transformadora, consciente de ser uma das forças vivas da sociedade. A Igreja segue firme sua missão em favor das Políticas Públicas que promova a cidadania e o direito da pessoa.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) propõe que durante esta Quaresma, através da Campanha da Fraternidade (CF), a sociedade reflita sobre a necessidade de promover uma cultura de paz em meio a tanta violência, o caminho pode ser através das Políticas Públicas.

A Quaresma é entendida como um grande retiro, um retiro de 40 dias, no qual nos voltamos de coração sincero para o Senhor e d´Ele recebemos uma nova vida.

Com a Campanha da Fraternidade (CF), durante a Quaresma e ao longo de todo o ano, somos chamados a sermos os protagonistas da superação da violência, fazendo-nos mensageiros e construtores da paz, promovendo e incentivando mais Políticas Públicas que favoreça a segurança e o bem-estar das pessoas. A paz continua, fruto do desenvolvimento integral de todos, nascido de um novo relacionamento com todas as criaturas, este também é o sonho de nosso Deus. Deve ser nosso compromisso constante, como Igreja Povo de Deus.

O objetivo geral da Campanha é levar a Igreja e a sociedade a se empenhar na defesa e promoção da vida humana, sobretudo quando esta vida é ameaçada, perseguida, oprimida por qualquer sistema de injustiça e opressão. A Igreja tem consciência de que a vida humana é uma dádiva de Deus.

O tema da Campanha da Fraternidade (CF) 2019 propõe a conversão do coração e a consequente transformação da sociedade. Abrir caminhos novos para que as pessoas possam viver na condição de cidadãos, ser respeitados e contemplados pelo Estado.

Cristo em sua vida, ensinou ao povo do seu tempo, a justiça, o amor e a fraternidade, aliviou o sofrimento daqueles que sofriam sob a opressão dos poderosos, de todos os poderosos, mesmo daqueles que até diziam ser religioso. Cristo, o libertador soube se compadecer dos pobres, a Igreja por sua vez, acolhendo o mandato de seu Senhor também procura seguir as mesmas pegadas, para promover a justiça do Reino.

Talvez o desafio maior é o de chamar a conversão os duros corações da sociedade de hoje, para que se tornem um coração de carne que sabe colocar em prática gestos concretos de comunhão e libertação, de justiça e de solidariedade para todos, com as Políticas Públicas de inclusão.

É hora de se envolver profeticamente contra todas as formas de injustiça e exclusão. Se a essência da Páscoa é persistir em acreditar que a esperança é um horizonte de Ressurreição, que pulsa a paixão pela Vida, então devemos persistir na defesa e promoção da justiça.

Não devemos nunca esquecer que a Campanha da Fraternidade (CF) da Igreja no Brasil, é um compromisso pascal, pois está ciente de que, crer na ressurreição também significa ter a certeza que a vida venceu a morte e nós somos chamados a ser testemunhas dessa vida que é Jesus.

Que esta Campanha sirva para abrir o nosso coração a Deus e às sementes da Páscoa, sementes que brotam em misericórdia e dão frutos de justiça, bondade, amor e fraternidade para todos.

 

Adaptado conforme: www.cnbb.org.br

 

 

Frei Paulo Roberto, Ordem dos Frades Menores Capuchinhos – OFM Cap.

Guardião do Convento Nossa Senhora dos Anjos em Itambacuri – MG Colaborador do Núcleo em Formação da Fraternidade da Ordem Franciscana Secular-OFS, na Diocese de Rio Branco – AC

Encontro todo 3º Domingo do mês na Paróquia Santa Inês, às 07h00.

 

Assuntos desta notícia