Coluna Golaço – 06.01.2019 – Jornal A Gazeta

Coluna Golaço – 06.01.2019

Um 2018 para refletir

O Atlético Acreano iniciou a temporada 2018 com muitas possibilidades: Campeonato Acreano, Copa do Brasil, Copa Verde e a disputa da Série C do Campeonato Brasileiro. No primeiro, ficou fora da briga pelo título após três anos, dois deles conquistando a taça. No segundo, eliminação para o xará Atlético Mineiro na Arena da Floresta (1×1). No terceiro, a volta pra casa precoce ao ser derrota nos pênaltis para o Santos/AP. No quarto compromisso, o sonho da Série B sucumbiu diante do Cuiabá nas quartas de final do torneio nacional. Estrutura precária, falta de investimento, distâncias que inviabilizam a recuperação física dos atletas entre outros percalços. Tudo isso pode justificar os tropeços atleticanos em 2018, mas foi possível entender que é possível.

E refletir

O Rio Branco, assim como o rival do Segundo Distrito, também começou 2018 cheio de expectativa. Mas as eliminações na Copa do Brasil para a Inter de Limeira/ SP (com direito a pênalti desperdiçado), na Copa Verde e Série D do Campeonato Brasileiro, ambas diante do Manaus, deixaram a torcida Alvirrubra frustrada. Alegria, apenas com a conquista do 47º título estadual. Em 2019, o caminhão de reforços dá um gás no ânimo do torcedor, porém, a pressão virá no primeiro tropeço. Não podemos esquecer do famigerado Centenário.

Também para se animar

O Galvez, “terceira força do futebol acreano” como dizem os que gostam de apelidar times, subiu um degrau na temporada passada e disputou o título do Campeonato Acreano com o Rio Branco. Não levou a taça para a sala de troféus, mas o trabalho está no caminho certo. A expectativa para 2019 é que a eficiência da base aflore também no time profissional.

Aposta na experiência

O Andirá aposta no ex-zagueiro Marquinhos (que será o técnico da equipe), no atacante Marcelo Brás e no lateral Ley para sair do grupo de coadjuvantes e alcançar o protagonismo no Campeonato Acreano 2019. Três coisas são certas: de Liderança, faro de gols e correria a equipe não pode reclamar.

Independência

O Tricolor de Aço retorna à primeira divisão do futebol acreano após seis anos. Além disso, tenta sair da fila que irá completar 21 anos em 2019. Como bem lembrou Illimani Soares, o objetivo é comer pelas beiradas para conseguir beliscar uma vaga nas semifinais da peleja local.

 

Assuntos desta notícia