Coluna Política Local – 03.08.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 03.08.2018

Aliança com Gladson
O Coronel Ulysses Araújo (PSL) confirmou por meio de sua fanpage que mantém conversas com o candidato ao governo pela oposição, Gladson Cameli (PP), para uma eventual aliança. Nada decidido até o momento, mas as conversas estão bem avançadas.

Oposição unida
Ulysses acrescenta que as conversas convergem no sentido de unir a oposição para “derrotar o PT”.

Suplente
A declaração de Ulysses ocorre um dia após uma enxurrada de notícias sobre sua desistência. O coronel estaria disposto a deixar sua candidatura ao governo para se tornar suplente de Márcio Bittar, candidato do MDB ao Senado.

Ulysses disse
“Uma aliança tem sido buscada pelo candidato Gladson Cameli junto ao nosso grupo político, com o objetivo de unir toda a oposição para juntos derrotarmos o inimigo comum que é o PT. Até o momento nenhuma decisão foi tomada em definitivo, pois estamos em conversas internas, inclusive, envolvendo o Diretório Nacional do PSL que se pronunciará até o final da tarde de sexta-feira.”

Bocalom
Quem não gostou nadinha da decisão de Ulysses foi o ex-prefeito de Acrelândia, Tião Bocalom. “Eu disse a ele: você é de maior (sic). A decisão é sua. E se ele tomar essa decisão, é uma questão dele, de foro íntimo. Mas eu tô aguardando a posição oficial dele. Só vou acreditar mesmo quando ele vier a público”, pondera o ex-prefeito de Acrelândia.

Pressão
Os candidatos pelo PSC, Patriotas e PSL, partido de Ulysses não querem sua desistência. Mas a decisão seria pessoal e tem inclusive aprovação familiar, o que pesa na escolha do coronel, que costuma tomar decisões ouvindo a família.

É candidata
Depois de muita especulação a ex-deputada Toinha Vieira (PSDB) confirmou que disputará uma das vagas da Assembleia Legislativa do Acre. Além disso decidiu também apoiar a candidatura de Gladson Cameli (PP) ao governo do Acre.

Aliança
PSB e DEM entram aliançados na disputa a deputado estadual. Entre os nomes que serão apresentados estão os dos deputados Luiz Gonzaga (PSDB) e Antonio Pedro (DEM).

Volta
E por falar no democrata, cresce consideravelmente a adesão a sua reeleição. Antoni0o Pedro é um dos deputados que estão cotados para retornar na próxima legislatura. Tem sido um deputado bastante atuante e presente nos principais debates do parlamento estadual.

Bem na fita
Heitor Junior (Podemos) e Lourival Marques (PT) também estão na lista dos prováveis deputados que estarão na Aleac na próxima legislatura. O bom trabalho que desempenham no parlamento os credencia a retornar.

Eles também
Quando se fala sobre a lista de renovação na Aleac, os vereadores Jackson Ramos (PT) e Roberto Duarte (MDB) são citados. Muita expectativa em torno dessas duas candidaturas.

Reunião
O deputado Lourival Marques comentou sobre uma agenda realizada junto a Federação do Comércio, que contou com a presença de representantes da Federação da Agricultura, Acisa, Fecomércio, do pré-candidato ao governo do Acre Marcus Alexandre (PT) e dos pré-candidatos ao senado Ney Amorim (PT) e Jorge Viana (PT).

O aval
O coronel Ulysses Araújo poderá até tomar a decisão de não disputar o governo do Acre, mas ao que parece a decisão não será tão simples assim. Ele terá que receber sinal verde do Partido Social Liberal (PSL), do presidenciável Jair Bolsonaro, para fazer aliança ou integrar qualquer chapa em que estejam o PSDB e outros nove partidos.

Veto
Uma resolução assinada no dia 3 de julho pelo presidente nacional em exercício do PSL, Gustavo Bebianno, veta coligação da sigla com o PSDB, PCO, PDT, PCdoB, PT, PSTU, Rede Sustentabilidade, PCB, PCO e PSOL.

Alerta
Bibianno alertou que os diretórios estaduais que contrariassem a orientação do partido poderiam ter suas convenções anuladas pela executiva nacional caso insistissem em se coligar com essas siglas.

Precedente
A resolução do PSL, no entanto, abriu uma exceção para em Mato Grosso, onde os dirigentes da sigla se coligarão com o PSDB. A decisão abre um precedente para o Acre.

Assuntos desta notícia