Coluna Política Local – 06.03.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 06.03.2018

Entrega de títulos
Governo celebra nova entrega de títulos definitivos e contempla 250 famílias em Rio Branco. Já é a terceira entrega do ano e, desde que iniciou o programa, em 2011, o Estado entregou 45.405 mil títulos de propriedades nos 22 municípios acreanos.

Meta e investimentos
A meta do Iteracre é chegar ao fim de 2018 com 60 mil famílias contempladas pelo programa de Regularização Fundiária. Para isso, além dos investimentos de R$ 25 milhões realizados durante a gestão de Tião Viana, o governo dispõe de duas emendas parlamentares: do senador Jorge Viana, no valor de R$ 350 mil, e do deputado federal Leo de Brito, também de R$ 350 mil.

Jogada
Sobre a nota divulgada pelo MDB na semana passada – que possivelmente deixaria a aliança em torno da pré-candidatura de Gladson Cameli -, não passou de uma jogada para assustar o progressista. Diz o presidente do MDB, Flaviano Melo, que a sigla estava sendo deixada de lado, o que para ele, não pode acontecer de forma nenhuma.

De lado, não!
“Nunca houve rompimento. Nós apenas fizemos uma nota para podermos ser respeitados. As pessoas estavam deixando o MDB em segundo plano, e isso não pode acontecer. Nós somos o maior partido. E o MDB vai lutar até o fim por essa unidade.”

Buscando união?
Flaviano acredita ser possível a unidade da oposição, desde que os partidos sejam ouvidos e respeitados em suas reivindicações. Hummm…

Revoltados
A fala do emedebista não agradou alguns oposicionistas. Muitos afirmam que a afirmação de Flaviano remete-se apenas ao MDB. E, uma análise da situação, ainda que superficial, mostra exatamente isso.

Unidos? Acho que não!
O maior exemplo disso é que mesmo tendo indicado o pré-candidato ao Senado, o MDB não se isenta de tentar escolher o vice de Gladson. E quando o PSDB entra na jogada, os emedebistas os tiram de campo.

Acepção de partidos
Vale lembrar que a nota do MDB ocorreu logo após a divulgação da suposta indicação de Mara Rocha (PSDB) à vaga de vice na chapa majoritária da oposição. MDB fazendo acepção de partidos? Certamente dirão que não!

Deu certo
Pois bem! O MDB deve comemorar. Pelo andar da carruagem, o plano deu certo. Gladson Cameli (PP) se sentiu pressionado ao ponto de marcar a data para anunciar seu vice. E mais, já disse que vai procurar o conselheiro Valmir Ribeiro – nome referendado pelo MDB – para conversar sobre a escolha do vice.

Nada de apoio
E o Coronel Ulysses acabou sendo iludido que ganharia o apoio da cúpula emedebista. Mal sabia ele que era apenas uma peça no jogo do MDB. A velha política!

Fora do PDT
O deputado Heitor Junior confirmou que deixará o PDT para se filiar ao Podemos. O motivo: uma suposta perseguição política contra ele para minar sua reeleição. O presidente regional da sigla, Luís Tchê, nega a declaração de Heitor.

Vai com ele
Heitor prometeu ainda levar para o Podemos um pré-candidato a deputado federal da oposição.

Jogada?
Há quem diga que a “declaração” do deputado Jonas Lima de que possivelmente deixaria o PT também foi um blefe. Os rumores ficaram ainda mais forte depois que foi publicado no Diário Oficial a nomeação da filha dele para o cargo de Secretária-Geral da Junta Comercial do Estado do Acre – JUCEAC.

Não teve negociação
Jonas nega qualquer negociação a respeito e ainda ressalta que nunca declarou que sairia do PT. Ele afirma ainda que não existia nenhum cargo negociado para a filha, contrariando a publicação do Diário Oficial do Estado. Então, tá!

Filiações
O Solidariedade reforçou sua chapa de deputado estadual para as eleições deste ano com quatro importantes filiações realizadas no último sábado, 3. A presidente da sigla, Márcia Bittar, reforça que o SD tem “trabalhado de forma incansável para fazer do Solidariedade um partido maior e mais respeitado no Estado, e é claro que as pessoas reconhecem nossos esforços e se somam a eles”.

Julgamento do HC
O julgamento do pedido de habeas corpus do presidente Lula, marcado para o último dia 1º, adiado pelo STJ, deve ocorrer nesta terça-feira, 6. O cenário atual na Corte é de impasse sobre a questão.

Assuntos desta notícia