Coluna Política Local – 07.03.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 07.03.2018

Chapão
O deputado Jenilson Leite (PCdoB) voltou a defender a criação de um chapão para os deputados estaduais e secretários que estão de olho nas vagas da Aleac. Na verdade, o que o comunista quer com essa sugestão é não ficar sem mandato.

Não é nem besta
Jenilson, durante discurso ontem na Aleac, lembrou que, na eleição de 2014, alguns parlamentares ficaram sem mandato. O chapão serviria para evitar que aquele cenário se repetisse.

Tábua de salvação
Esse chapão, sem dúvidas, seria a tábua de salvação para o PCdoB (leia-se Jenilson), que até o momento não conseguiu formar aliança com nenhum partido da FPA para disputa na Assembleia Legislativa.

Na pauta
O vereador Juruna (PSL) ainda anda contrariado com a fala do colega N. Lima (DEM), que durante a votação do PL do Executivo que pedia autorização para contrair empréstimo a fim de concluir as obras do Shopping Popular, chamou alguns camelôs presentes de “povinho”.

Ele disse
“Não me atinge ser chamado de povinho (…) Nós somos povinho mesmo. É o voto do povinho que elege as pessoas, que elege os parlamentares. Isso não vai tirar o nosso brilho”, disse Juruna.

Ação e reação
Eu, particularmente, acho que a fala do democrata foi um tanto quanto indelicada e ofensiva, mas não cabe a mim julgá-lo ou condená-lo. É a lei da ação e reação. Ao se ver vaiado, sua reação foi chamar os presentes de “povinho”.

Águas passadas
Foi uma sessão repleta de atitudes desrespeitosas, a começar pela postura de alguns vereadores que ficaram de costas durante o pronunciamento de N. Lima. Talvez, essa reação é que tenha desencadeado todo o resto. Águas passadas!

Bem cotado
O vereador Roberto Duarte (MDB) tem sido um dos emedebistas cotados para conquistar uma das 24 vagas da Aleac. Dizem que ele será o calcanhar de Aquiles para a reeleição de Eliane Sinhasique (MDB). Outro favorito é ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales.

Prometeu
O pré-candidato ao governo Gladson Cameli (PP) reafirmou que até o dia 15 anuncia o nome do vice dele. Durante essa semana irá se reunir com todos os partidos. Disse que a escolha se dará em cima de quem acredita que verdadeiramente o ajudará a governar o Estado, caso seja eleito.

Olha o recado
E ainda manda recado: se alguém não gostar do nome indicado é só não o acompanhar. Tá certo!

Nomes à vista
Entre os nomes que concorrem ao posto estão o do médico oftalmologista Eduardo Velloso, o deputado federal Alan Rick e o presidente do Tribunal de Contas do Estado do Acre, o conselheiro Valmir Ribeiro. O nome da jornalista Mara Rocha, que foi cotada como possível candidata ao posto, já foi descartado por Cameli, para alegria de Marcio Bittar e outros emedebistas.

Revoltado
O senador Jorge Viana (PT-AC), em audiência pública, não mediu palavras para criticar a cobrança de bagagem pelas companhias aéreas. Ele reforça que a medida não reduziu o valor das passagens aéreas, conforme havia sido anunciado.

Muitos problemas
Entre os pontos abordados pelo petista ao longo dessa agenda, vale destacar os vários problemas que a cobrança tem causado aos passageiros, especialmente àqueles da região norte e nordeste, que enfrentam voos mais longos.

Jorge disse
“É a maior confusão na hora do embarque. Todo mundo levando mala de mão, mas não cabe tudo na parte de cima. Aí dizem que vão colocar no porão. E o pior ainda: eles mudaram as medidas das malas”, criticou.

Inércia
Vale frisar que tramita no Congresso Nacional um Projeto de Decreto Legislativo que proíbe a cobrança por despacho de bagagem. A proposta, de autoria do senador Humberto Costa (PT-PE), já foi aprovada no plenário do Senado, mas aguarda decisão da Câmara dos Deputados desde o ano passado.

Pontual
O deputado Gehlen Diniz (PP) suscitou um debate bem relevante na Aleac, na sessão de ontem, 6. Frisou que é necessário fazer o controle de peso das carretas na BR-364, sentido Rio Branco – Cruzeiro do Sul. Ele acredita que o excesso de carga das carretas que entram transportando pedra e as que saem com castanha e madeira danifica novamente a pavimentação dos trechos recuperados.

Não foi ouvido
O progressista chegou a falar a respeito durante o processo de recuperação da rodovia. Solicitou a instalação de balanças ou reativação das existentes a fim de evitar que a restauração não fosse inútil, porém, o Dnit não lhe deu atenção. É uma sugestão a se pensar.

Assuntos desta notícia