Coluna Política Local – 10.01.2019 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 10.01.2019

Contraditório

Não caiu bem a notícia de que está nos planos da prefeitura de Rio Branco contratar uma empresa de publicidade de busdoor. O que intrigou foi o fato de ocorrer uma reforma administrativa para reduzir gastos, devido a situação econômica do município, que segundo a prefeita Socorro Neri (PSB), não era das melhores, e, de repente, fala-se em gastar cerca de R$ 500 mil com propagandas.

Pior

Nos bastidores, já comenta-se que esse gasto pode deixar a situação financeira da prefeitura ainda pior. Já se questiona também porque esse valor não é direcionado para as áreas de Saúde e infraestrutura. Com a palavra, a prefeitura da Capital.

Começo complicado

Já era esperado que o governo de Gladson Cameli (PP) começasse com algumas dificuldades. É fato que o Estado não está em seu melhor momento, economicamente falando. Porém, as coisas estão bem piores do que o imaginado. O fato do ex-governador Tião Viana (PT) não ter pagado o 13º salário completo dos servidores deixou Cameli em maus lençóis.

Um milagre

O progressista se vê obrigado agora a dobrar o joelho e orar para que o FPE de janeiro dê conta de pagar o restante do 13º dos servidores, mais o salário de janeiro dos ativos e inativos do Executivo. Momento propício para se pedir um milagre de Deus.

Nada confirmado

Oficialmente, o governo ainda não tem uma data certa para efetuar o pagamento. Fala-se inclusive nos bastidores sobre a possibilidade de ocorrer o parcelamento destes 50%, já que a prioridade será assegurar o salário de janeiro – entre outras obrigações constitucionais.

Transferência

A primeira transferência no governo de Gladson Cameli ocorre nesta quinta-feira. Somente após receber a primeira parcela do FPE e operar com o novo orçamento, que o governo terá um cenário mais claro de como e quando pagará a sobra do 13º. Como já citado acima, a prioridade, por hora, é pagar o salário de janeiro.

Bom senso

Fato que a obrigação foi transferida a Gladson, mas é preciso ter bom senso. Se Tião Viana não conseguiu efetuar  pagamento em dezembro, por que acham os petistas que a realidade financeira do Estado mudou em menos de um mês? Se as críticas realmente ocorrerem, só mostrará que o partido não está disposto a fazer a tal oposição responsável como pregam por aí.

Polêmico

Ainda sobre Cameli, a indicação do ex-prefeito de Senador Guiomard, James Gomes, para o cargo de diretor na Secretaria da Casa Civil gerou muitos questionamentos pelo fato de o ex-gestor também ter sido condenado pelo crime de improbidade administrativa, assim como Alércio Dias, que foi indicado para o Instituto Acreprevidência.

Condenação 

A condenação de Gomes ocorreu devido ter contratado, durante seu mandato, de 2009 a 2015, servidores públicos de forma irregular, sem a realização de concurso público efetivo. Por conta disso, ele teve seus direitos políticos suspensos por quatro anos; pagamento de multa civil no valor de 15 vezes da sua última remuneração como prefeito; proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente.

Devolvendo valores

James foi condenado ainda pelo TCE, em novembro do ano passado, a devolver a quantia de R$ 32 milhões, acrescido de aplicação de multa de R$ 3 milhões, devido à má execução de despesas referentes ao ano de 2013.

‘Despetização’

A indicação do engenheiro Italo Medeiros como diretor-geral do Departamento Estadual de Estradas e Rodagem do Acre (Deracre) pegou muitos de surpresa. O motivo: o novo gestor já foi diretor da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Rio Branco (Rbtrans) na gestão de Raimundo Angelim e do Detran na gestão de Tião Viana. Seria Italo Medeiros mais um petista na gestão de Gladson Cameli?

Difícil

Fato que Cameli tem tido muita dificuldade em emplacar nomes para o 2º escalão. A maioria dos que são cogitados possuem vínculos com a gestão dos Vianas ou até mesmo com o PT. Ao que parece, a capacidade técnica tem se sobressaído ao lado político.

Normal

Não vejo porque isso tenha que ser considerado anormal, afinal de contas, o trabalho é realizado em prol da população do Acre.

Besteira

Muita besteira alguns petistas ficarem apontando as nomeações do atual governo. Pessoas boas e ruins têm dos dois lados, tanto da oposição quanto da situação. No final das contas, isso mostra que o governo de Cameli é mais democrático do que a gestão anterior, que só nomeava pessoas que fossem do grupo deles.

É um brincante

O novo presidente do PT, Cesário Braga, decidiu emitir uma nota atribuindo a nova gestão governamental à prática de perseguir servidores públicos por serem ligados à FPA. Pergunto-me como, em dez dias de mandato Gladson, e toda sua equipe simplesmente conseguiu colocar em prática tamanha perseguição? É de se pensar que a prioridade do novo governo foi só essa nesses primeiros dias de gestão. Desculpe a ironia, leitor, mas é impossível ficar inerte a esse tipo de comentário. Uma nota desnecessária e eivada de vícios políticos. Estamos todos no aguardo de uma oposição responsável.

Assuntos desta notícia