Coluna Política Local – 14.06.2019 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 14.06.2019

Ponto positivo
O deputado Roberto Duarte (MDB) marca mais um ponto positivo em sua carreira política quando consegue aprovar, por unanimidade, na Assembleia Legislativa, um projeto de lei que visa moralizar o serviço público e, mais que isso, consegue a sanção desta lei pelo Executivo.

Sem a presença
Mesmo sem a presença de Duarte, um grupo de parlamentares acompanhou o presidente da Aleac, Nicolau Júnior (PP). Roberto Duarte cumpriu agenda externa ontem, fora de Rio Branco, por isso, não compareceu ao evento.

Fala Ribamar
A respeito do projeto, o chefe da casa Civil, José Ribamar Trindade, disse que por mais que tenha nascido na Assembleia Legislativa, o governo estava sempre atento a essas questões. “Inclusive, temos tomado algumas providências nesse sentido”. Tá certo!

Discurso de cerimônia
O discurso de Ribamar foge um pouco à realidade quando o governo manteve pessoas acusadas e condenadas por improbidades em sua gestão. Depois de muito vai e vêm, os ajustes foram sendo feitos. O Acreprevidência foi um exemplo disso, e o Imac também.

Compromisso
Do governador em exercício, Major Rocha, veio: “Esse é o compromisso do governador Gladson Cameli com a boa política, com as boas práticas”. O Acre inova com mais esse dispositivo legislativo para evitar que pessoas condenadas pela Justiça possam ocupar cargos públicos dentro da estrutura de governo.

De Brasília
Da capital federal, vem uma boa notícia. Os trabalhadores rurais e os beneficiários de prestação continuada (BPC) não entrarão na reforma da previdência. Isso significa que mulheres do campo permanecem aposentando com 55 anos e homens aos 60. Os idosos beneficiários do BPC a partir dos 65 anos, como antes.

Previdência
Também ficou de fora a proposta de inclusão dos Estados e munícipios na Reforma. Se aprovado em plenário, o relatório do deputado Samuel Moreira, da Paraíba, caberá às assembleias e as câmaras municipais discutirem o regime previdenciário de seus servidores.

O que acrescentar?
No Acre, o percentual recolhido é de 14% dos servidores públicos para a previdência. Na última quarta, o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) já encampava essa discussão. Segundo ele, o Acre já fez sua reforma. Ele questionou qual reforma o governador Gladson Cameli (PP) vai apresentar na Aleac.

Mais uma greve
Hoje, trabalhadores, estudantes e sindicalistas vão às ruas para mais uma manifestação. Pretendem chamar a atenção do governo tanto estadual, quanto federal para a reforma da previdência. Aqui ou lá, os parlamentares não terão vida fácil para aprovar nada. O povo está de olho!

Grave
Graves as informações de que o Governo do Estado deixou de pagar parcelas precatórias dos meses de abril e maio. Mais de R$ 15 milhões podem ficar bloqueados. O governo precisa ficar atento ao pagamento dessas dívidas que, caso não honradas, travam a administração.

Retrovisor
Nota dura do governo em resposta à decisão do TJ/AC. Mas, aqui, não cabe mais a gestão Cameli olhar para o retrovisor. É preciso focar e tentar acertar em erros primários, como o não pagamento de dívidas importantes. Dizer que o Tião pagou ou deixou de pagar não mudará em nada. Afinal, a Justiça não se move como a política.

Quero a minha vaga
Dizem que lá pela casa progressista o negócio não anda bem. Militantes do PP pedem uma oportunidade no governo Cameli, afinal, estiveram na rua balançando bandeira. Natural que tenham preferência.

Jesus, a salvação
O deputado Jesus Sérgio (PDT) tem sido a salvação da bancada acreana em Brasília. Está entre os mais atuantes, mesmo sendo marinheiro de primeira viagem. Sugeriu mudanças nos cálculos de repasses do Fundeb. O parlamentar defende que seja observada a regionalidade de cada escola no país.

Democrática
A prefeita Socorro Neri (PSB) tem sido democrática na forma de atuar. Não se recusa se reunir com os presidentes de bairros e aos moradores das comunidades. É necessário avançar na gestão. Socorro Neri paga um alto preço pelas ruas inacabadas do Programa Ruas do Povo.

Tudo para brilhar
O Programa Ruas do Povo tinha tudo para ser um marco na história do Acre. Em partes foi, há obras boas, mas há muitas obras inacabadas. Quer conferir? Desce na Baixada da Sobral, meu irmão. ta ponta de calçada e boca de esgoto aberta. Sem falar nos entupimento de rede.

Assuntos desta notícia