Coluna Política Local – 16.01.2019 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 16.01.2019

Inconstante

Sol, chuva, sol, chuva… eita tempo inconstante em nosso Acre! Parecido a isso só a política local. Nos bastidores corre a notícia de que alguns ‘figurões’ da oposição estariam articulando pular para o partido do governador Gladson Cameli (PP). Perceberam que não será moleza fazer parte do grupo dos “sem poder”.

Tranquilo

Falando em mudar de partido, até o momento o deputado estadual Ney Amorim não se pronunciou sobre qual sigla irá se filiar. Recentemente, ele disse que sua prioridade no momento é concluir o mandato. Uma nova sigla somente depois de março.

Querido

Mesmo tendo deixando o PT, Ney continua sendo querido por muitos dos militantes. Alguns até declararam que se desfiliarão da sigla tão logo o ex-petista anuncie sua nova legenda.

Agendas

O deputado federal Alan Rick (Democratas) cumpre nesta quarta-feira uma série de agendas no município de Sena Madureira. Além de visitar as unidades de saúde e participar da entrega dos automóveis, Alan Rick também manterá um encontro institucional com o prefeito Mazinho Serafim, do MDB.

Vai brigar

Após deixar a FPA, o Partido Verde estuda a possibilidade de lançar candidatos próprios nas principais prefeituras do Estado, especialmente Rio Branco e Cruzeiro do Sul. E nessa conversa foi suscitado o nome do juiz aposentado e primeiro suplente de deputado estadual Pedro Longo.

Animada

Rumores dão conta de que a presidente Shirley Torres se mostrou muito animada com a disposição de todos os dirigentes em fortalecer a legenda, e comunicou que pretende convocar para breve um Encontro Estadual para aprofundar as estratégias.

Reeleito

O empresário José Adriano foi reeleito presidente da Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac). A disputa foi tensa, com direito a jogos de intrigas e acusações. Francisco Salomão bem que tentou viabilizar seu nome, mas o atual presidente foi mais esperto.

Em maus lençóis

A reeleição de Adriano deixou o governo em uma situação bem delicada, haja vista que o concorrente do atual presidente entrou na disputa com o apoio de Gladson Cameli (PP). Há quem diga que a vitória de José Adriano se deu mais pela falta de articulação do grupo de Cameli em eleger seu candidato.

Déjà vu 

O cenário criado na Fieac lembra e muito o que ocorreu nas eleições do Sebrae, no mês de dezembro, quando o advogado Marcos Lameiro foi eleito superintendente da entidade. O candidato Marivaldo Melo, apoiado pelo governador eleito Gladson Cameli, não recebeu os votos que eram esperados e muito menos estava presente durante a votação. Ele cumpria agenda fora do Acre.

Inexperiente?

Nas duas situações, tanto Sebrae quanto Fieac, a equipe de articulação foi a culpada por não ter ao menos feito algumas ligações para os dirigentes que tinham poder de voto, afinal de contas, quem negaria um pedido pessoal do governador? Nesse caso, o ex-governador leva vantagem em relação ao atual.

Muitas críticas

Após receber uma enxurrada de críticas devido a nomeação do ex-secretário de Saúde do governo Tião Viana (PT), Gemil Júnior, para ser seu secretário de Administração e Obras, o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro (PP), frisou que não perderá tempo com as polêmicas. Sua resposta virá através do trabalho que desenvolverá. “Vamos responder com trabalho, muito trabalho”, disse.

Ele negou 

O ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT), negou que seria nomeado como assessor no Tribunal de Justiça do Estado do Acre. Irritado com os rumores, o petistas lembra que as eleições já passaram e que já desceu do palanque.

Na real

“As eleições já passaram há quase quatro meses, eu já desci do palanque. Está na hora de todo mundo fazer o mesmo. Trato a situação com respeito e peço o mesmo”, disse Marcus.

Revoltado

O ex-secretário de Agropecuária no governo de Tião Viana, José Carlos Reis, não gostou nadinha da notícia de que equipamentos agrícolas do Estado estavam em propriedade de produtores simplesmente por vinculação política. “É covarde e mentirosa a informação veiculada com a chancela da atual administração estadual”, disse ele.

Esclarecimentos

A explanação vem contra a Operação realizada pela Polícia Civil na semana passada que apreendeu máquinas que estavam de posse de pessoas ligadas ao PT e a empresários. Em comunicado, Reis ressalta que o governo de Tião fez a clara opção de incentivar a produção, sem distinção. “Vários equipamentos foram adquiridos e disponibilizados dentro dos ditames legais a quem produz. Inclusive, fazendo parcerias sem distinção partidária, como é o caso da Prefeitura de Plácido de Castro”, esclarece.

Assuntos desta notícia