Coluna Política Local – 16.12.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 16.12.2018

Semana agitada

A prisão do deputado federal eleito Manuel Marcos, da deputada estadual reeleita Juliana Rodrigues, e do prefeito de Senador Guiomard, André Maia, agitaram a política acreana na última semana. E os desdobramentos das duas operações prometem continuar agitando ainda mais. Não se pode esquecer que o mandato de dois parlamentares está em jogo e se depender do Ministério Público Eleitoral, nenhum deles chegará nem a ser diplomado.

Não vai dar tempo

E por falar em diplomação, os suplentes do PRB devem estar irados. Isso porque, mesmo a Justiça Eleitoral primando pelo Princípio da Celeridade, corre-se o risco da Aije impetrada contra os dois parlamentares não ser julgada a tempo da realização da cerimônia, que ocorre na próxima quarta-feira, 19.

Complicou

Além de pedir a não diplomação dos investigados e a aplicação de outras sanções previstas na legislação eleitoral, o MP Eleitoral quer que sejam devolvidos aos cofres públicos o R$ 1,2 milhão desviado pelo esquema.

Nova presidente

Os vinte e dois prefeitos de cidades do Acre elegeram na última sexta-feira, 14, a nova diretoria da Associação dos Municípios do Acre, AMAC. Socorro Neri (PSB) prefeita de Rio Branco, foi eleita com 19 votos e o apoio de prefeitos que integram o grupo do governador eleito Gladson Cameli (PP).

Mudando de lado?

O apoio do grupo de Cameli fez surgir o questionamento: estaria a prefeita pensando em mudar de lado? Em minha opinião, não! O apoio é resultado do bom trabalho que vem desempenhando à frente da Prefeitura de Rio Branco. Sem falar que, de todos os prefeitos, quem melhor apresenta um perfil técnico é ela.

Pede para sair

E por falar em AMAC, no discurso de despedida da presidência da associação, a prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino (PSD), revelou que vem sendo pressionada para renunciar o mandato. Não é de se surpreender. É do conhecimento de todos que Marilete vem fazendo uma gestão desastrosa.

Da família

Mas, de acordo com a prefeita, a pressão que vem sofrendo é de dentro de sua família. Seei! “Minha família nem queria que eu me candidatasse. Mas, me tornei prefeita e venho sendo pressionada para que renuncie. A maior pressão é da minha filha, que mora em São Paulo e teve bebê recentemente. Ela me quer por perto e faz seguidos apelos para que eu me afaste da vida publica”, disse Marilete.

Impopular

Marilete passa por um período nebuloso em sua gestão. Com baixo índice de aprovação popular, ela patina na tentativa de engrenar sua gestão. Vereadores querem destituí-la do cargo e exigem dela uma posição. Marilete vem resistindo duramente os ataques dos opositores que se aliam à pressão dos familiares.

Contas aprovadas

Gladson Cameli (PP) teve as contas aprovada, o que lhe permitirá assumir o Governo a partir do dia primeiro de janeiro. A solenidade será realizada a partir das 16h, em dois momentos. O primeiro ato será na Assembleia Legislativa (Aleac) onde os dois assumem oficialmente o Governo do Estado. Depois, às 17h, acontece a transmissão do cargo e a entrega da faixa governamental, em frente ao Palácio Rio Branco.

Programação

Uma programação especial está sendo preparada para a posse do novo governador, inclusive com a presença do Conservatório Musical do Vale do Juruá, projeto social do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) e do 61º  BIS do Exército Brasileiro. Uma significativa estrutura está sendo montada para que os populares possam acompanhar os dois atos.

Honrarias

Após tomar posse como governador, Gladson Cameli receberá as honras das Forças Militares, com a passagem em revista às tropas formadas. Em seguida acontecerá o desfile das tropas.

Festa popular

Também está programado um show, com bandas locais, após a solenidade de posse, para que a população possa se confraternizar. A intenção é realizar uma festa popular, onde as pessoas possam acompanhar toda solenidade.

Lado do Gladson

Corre nos bastidores a notícia de que o PDT já estaria de malas prontas para aderir ao bloco de apoio do governador eleito Gladson Cameli (PP).  A euforia do progressista seria por conta da Câmara Federal, onde o PDT fez um deputado, Jesus Sérgio.

Vixe

A Justiça Federal recebeu a denúncia do MPF contra o ex-presidente Lula na qual se tornou réu por lavagem de dinheiro porque teria recebido R$ 1 milhão do grupo brasileiro ARG. Os valores teriam sido dissimulados na forma de doação ao Instituto Lula.

Denúncia

De acordo com o MPF, o pagamento teria sido feito depois que o ex-presidente influiu em decisões do presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, as quais resultaram na ampliação dos negócios da empresa no país africano. A denúncia foi apresentada em novembro pela Força-Tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo.

Assuntos desta notícia