Coluna Política Local – 27.02.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 27.02.2018

Chapa própria
Cesário Braga, secretário de Organização Partidária do PT no Acre, enterrou de vez o sonho de Jenilson leite (PCdoB) de ver os deputados à reeleição e os secretários de Estado em um chapão, na disputa pelas vagas da Aleac. Braga confirmou que o PT sairá com uma chapa pura.

Elegendo muitos deputados
Cesário está confiante que o partido conseguirá eleger oito deputados estaduais. Não será uma tarefa fácil, sem dúvidas.

Trabalho duro
Um chapão facilitaria muito a reeleição de Jenilson. Com a negativa do PT, o comunista terá que trabalhar dobrado se quiser retornar à Aleac na próxima legislatura. Não só ele. Edvaldo Magalhães e Eduardo Farias também.

Complicado
Quem também está em uma posição delicada é o PSB. Sem alianças para o parlamento estadual, terá que sair de chapa própria, o que dificulta a reeleição de Manoel Morais. Dificulta, mas não a torna impossível. Que fique claro!

Nada de candidatura
Embora tenha se filiado ao PSB em ano eleitoral, a ex-vereadora Aryanny Cadaxo deixa claro que não pretende se candidatar a nenhum cargo eletivo nesse. Vai apenas dedicar-se aos projetos do partido. Quem sabe no futuro…

Boa parlamentar
Aryanny deixou uma boa marca durante sua passagem pela Câmara de Rio Branco. Levantou bons debates na Casa, foi dura quando precisou ser, apresentou bons projetos. Se voltar a ter mandato, sem dúvidas, a população irá ganhar muito.

No PSB
Quem também estuda a possibilidade de se filiar o PSB é o ex-deputado Elson Santiago. Ele pretende concorrer a uma das vagas na Assembleia Legislativa na eleição deste ano.

Crescendo e se fortalecendo
O PSB tem tudo para sair ainda mais fortalecido na eleição de 2018. Terá um quadro bom de candidatos, somado as novas lideranças que o partido tem conseguido filiar. É um partido que segue crescendo.

Tem palavra
Não creio que Tião Bocalom possa abandonar a pré-candidatura do militar Ulysses Araújo ao governo do Estado. Quem conhece Bocalom sabe bem que não recua de sua palavra. O democrata está entre a cruz e a espada, tendo em vista que pode perder o apoio da nacional quanto sua candidatura a deputado federal.

O nome
Antonio Sales. Esse é o nome sugerido pelo ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, para ocupar a vaga de primeiro suplente na pré-candidatura de Marcio Bittar (MDB) ao Senado. De bobo não tem nada! Deixou a disputa, mas a família Sales continua na jogada.

A palavra é lei
E nem duvidem que o nome não será aceito. Vagner é principal articulador da pré-candidatura de Bittar, portanto, sua palavra é como lei. A não ser que siga o exemplo de Ilderlei Cordeiro e se rebele contra Sales. Pouco provável que aconteça.

No jogo
Confirmadíssima a participação do advogado Jekson Dutra na eleição de 2018. É pré-candidato a deputado estadual pelo Solidariedade. Atualmente, ele segue suplente de deputado pelo PDT.

Nada de aliança
O PHS já anunciou que não formará nenhuma aliança para a disputa eleitoral deste ano no que diz respeito ao parlamento estadual. Vão de chapa própria. Ao que parece, cansaram de ajudar outros partidos a eleger candidatos e ficarem sem representantes do próprio PHS.

Emenda parlamentar
Registre-se a destinação de emenda parlamentar no valor de R$ 350 mil feita pelo deputado federal Leo de Brito (PT) ao governo do Estado, para o fortalecimento da regularização fundiária no Alto Acre.

Também destinou
O senador Jorge Viana também destinou uma emenda de R$ 350 mil para reforçar o programa.

Projeto
A política fundiária é um dos maiores projetos de governo de Tião Viana. Quase 46 mil títulos já foram entregues em todo o estado desde 2011. A expectativa é de chegar a 60 mil títulos até o fim do ano, com um investimento do governo que ultrapassa R$ 25 milhões.

Pedido de afastamento
O Ministério Público protocolou mais uma ação civil pública com pedido de liminar pedindo o afastamento e bloqueio de bens contra a prefeita de Brasileia, Fernanda Hassem. É a segunda ação de improbidade administrativa em menos de um mês.

Casa caindo
De acordo com a ação do MP, Fernanda pagou valores a pessoas físicas e jurídica, acima dos limites legais e antes de realizar os pregões para tentar legalizar os contratos. A ação cita ainda favorecimento ao cunhado da deputada estadual Leila Galvão.

Assuntos desta notícia