Coluna Política local – 27.02.2019 – Jornal A Gazeta

Coluna Política local – 27.02.2019

Manifestação
Parlamentares estaduais e municipais, movimentos sociais e consumidores se reúnem logo mais, em frente à Energisa, para manifestação contra o reajuste de 21% na tarifa de energia. A iniciativa é do deputado Jenilson Leite (PCdoB), mas conta com o apoio de todo o legislativo, aliás, de toda a sociedade civil organizada. 

Liminar derrubada
A Justiça Federal no Acre chegou a conceder uma liminar, a pedido da Defensoria Pública da União e da Defensoria Estadual, impedindo o reajuste, contudo, a liminar foi derrubada pelo TRF 1. Um novo recurso tem sido elaborado pela Defensoria Pública da União e do Estado para derrubar a decisão. Até lá, a população sofre com os aumentos, abusivos, diga-se de passagem.

Exorbitante
Na Câmara de Rio Branco, o assunto tem sido exaustivamente debatido pelo vereador Mamed Dankar. Em pronunciamento, ele chegou a relatar que uma pessoa havia reclamado a ele que a conta de energia, de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019, teria aumentado em 60% mesmo o consumo tendo sido praticamente o mesmo. 

Resultado
Esse não é um debate que não deve ocorrer apenas no sentido de ganhar destaque nos jornais. É preciso que os parlamentares (municipais, estaduais e federais) tenham consciência de que devem militar em favor da população. Não cabe no orçamento de muitas famílias esse aumento na energia. O foco é esse, defender a população mediante esse aumento abusivo e não tentar tirar dividendos políticos, embora ao final ocorra.

Perdeu!
Corre nos bastidores a notícia de que o Manoel Roque está correndo o sério risco de perder a presidência do PHS. Um novo nome já foi suscitado. É só uma questão de tempo.

Novo Bolsonaro
Na ânsia de agradar as pessoas, muitas vezes o ser humano acaba enfiando os pés pelas mãos. Entendo o fato de o governador Gladson Cameli (PP) tentar ser agressivo quanto ao combate à violência no Estado, mas, às vezes, é preciso ter cautela.

Que doideira I
Como é que um chefe de Estado vai a um dos bairros mais violentos da Capital, segura um fuzil na mão, ainda que desmuniciado, e ameaça a bandidagem?! Ou o governador é muito corajoso ou muito ingênuo. Poderia ter gerado reações das facções. 

Que doideira II
Não satisfeito em manusear o fuzil, Gladson ainda mandou que todos os policias que estavam no local entrasse nos carros que estavam sendo entregues e saíssem em carreata pelo bairro. A postura do governador tinha o objetivo, claro, de mostrar aos bandidos que a polícia detém o comando do espaço, mas que foi inconsequente, isso foi.

Ordens
As ordens vindas do Palácio são para que não se admita qualquer crime dentro do governo, ou fora dele, nas ruas, becos ou comunidades, por mais distintas que elas sejam. Declaração de guerra contra a bandidagem.

Legitimada I
Depois de toda aquela confusão em torno da eleição para presidente da Federação das Indústrias do Acre (Fieac), ocorrida em janeiro deste ano, o Tribunal Regional do Trabalho, da 14ª Região, decidiu legitimar a reeleição do empresário José Adriano. O processo eleitoral se deu em meio a questionamentos sobre a validade dos votos dos presidentes de sindicatos que apoiavam o presidente reeleito.

Legitimada II
A questão foi levada à Justiça pelo grupo do empresário Francisco Salomão, que também pleiteava o cargo. A posse da nova diretoria eleita deve ocorrer em julho, quando termina o mandato atual.

Vai disputar 
Aumentma os rumores nos bastidores de que o ex-deputado federal Sibá Machado deverá ser candidato a prefeito do Bujari. Embora ainda não tenha se posicionado com relação à questão, pessoas próximas do petistas admitem a possibilidade. 

Vai disputar
O outro rumor envolvendo o nome de Sibá diz respeito à presidência do Partido dos Trabalhadores no Acre. Corre à boca larga que ele estaria se articulando para disputar o comando da sigla. Alguns insatisfeitos com a forma como Cesário Braga foi conduzido ao cargo já teriam declarado apoio a Sibá. Por hora, apenas conjecturas.

Continua no cargo
Ao contrário do que foi divulgado por alguns setores da imprensa local, Ruy Birico continua com o cargo no Acreprevidência, com salário estimado em cinco mil reais mensais.

Adequação
De acordo com o porta-voz do governo, jornalista Rogério Wenceslau, a publicação da exoneração de Birico se deu apenas por adequação administrativa. “Quem nomeia no Acreprevidência é o diretor-presidente do órgão. Ele continua no cargo”, disse Wenceslau.

Recado dado
Aos que tentam a todo custo desgastar a parceria de Gladson Cameli (PP) com o vice Major Rocha (PSDB), aqui vai um recado do tucano: “Se pensam que vou romper com Gladson ou ele comigo, podem tirar o cavalo da chuva”. A fala ocorreu após as nomeações feitas por Rocha enquanto governador em exercício, e que se tornaram sem efeito após o retorno de Cameli.

Assuntos desta notícia