Coluna política nacional – 06.02.2019 – Jornal A Gazeta

Coluna política nacional – 06.02.2019

Deputada de Bolsonaro’ pretende presidir a CCJ
Após a eleição da mesa diretora, os holofotes se voltam agora para a definição da presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante da Câmara dos Deputados. Pelo critério da proporcionalidade, o cargo deve ser ocupado por parlamentar do PSL, o partido do presidente. A favorita do governo é Bia Kicis (DF), talvez a deputada mais ligada a Bolsonaro para além dos seus próprios filhos.

CCJ é vital
Governo que não tem aliados no comando da CCJ corre o risco de paralisia e de falência múltipla de órgãos, daí a importância do cargo.

Kicis é preparada
Dona de grande saber jurídico aperfeiçoado na longa carreira de procuradora, Bia Kicis enfrenta ao menos duas outras candidaturas.

Jovem rival
O principal na disputa para presidir a CCJ é Felipe Francischini (PR), de apenas 25 anos, filho de Fernando Francischini, dirigente do PSL.

Café com leite
Deputados federais de primeira viagem, Delegado Marcelo Freitas (MG) e Coronel Tadeu (SP) correm por fora na disputa interna do PSL.

Vale esconde o cachê de ‘comitê independente’
A Vale esconde o cachê dos membros do “comitê independente” que vai “apurar as causas da tragédia” de Brumadinho. O objetivo seria a obtenção de um documento que venha a ser útil à defesa dos diretores da empresa. A ministra aposentada do STF Ellen Gracie, uma das advogadas mais admiradas do País, vai chefiar o “comitê”. Parecer de jurista com a sua credibilidade pode custar de R$10 a R$40 milhões.

Puro deboche
A Vale reservou R$35 milhões para distribuir indignos R$100 mil a cada família dos presumíveis 350 mortos pela barragem da Vale.

O que é ruim…
Esta coluna perguntou à Vale claramente quanto vai custar seu “comitê
Independente”. Sua resposta: “Esta informação não está disponível”.

Cadeia à vista
A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) propôs CPI para investigar a catástrofe da Vale. “Quero botar malandro na cadeia”, disse ela.

Saúde indígena
Tenente do Exército brasileiro e dona de um currículo invejável, Silvia Nobre deve assumir o cargo de titular da Secretaria Especial de Saúde Indígena, do Ministério da Saúde. Silva é índia da etnia Waiãpi.

Chás de cadeira
Políticos experientes andam preocupados com o tratamento concedido no Planalto a deputados e senadores aliados do governo. Não é bom para quem precisa votos para aprovar a reforma da Previdência.

Querosene mais barato
O governo de São Paulo reduziu o ICMS do querosene de aviação de 25% para 12% e as empresas. aéreas se comprometeram a criar 490 voos semanais. O governo do DF também reduziu o ICMS.

Experiência no mister
O chanceler Ernesto Araújo cedeu a diplomata Carla Barroso Carneiro ao Ministério da Cidadania. Ela tem experiência. Nos governos do PT atuou com denodo na Casa Civil e com Aloizio Mercadante, no MEC.

Ministro fora
Carlos Alberto Decotelli foi enfim nomeado presidente do Fundo Nacional da Educação (FNDE), nesta terça (5). A indicação não passou pelo crivo prévio do ministro da Educação, Ricardo Vélez.

Parceiro seguro
O embaixador da Espanha no Brasil, Fernando García Casas, visitou o ministro Augusto Heleno (GSI) esta semana para tratar de avanços na parceria e cooperação dos dois países na área de segurança.

Carteira na mão
A expectativa de dias melhores foi observada no aumento de 5% nas emissões de carteiras de trabalho ano passado: cinco milhões, segundo o Ministério da Economia. Agora só faltam os empregos.

Barragens em risco
Das 24 mil barragens, 3.543 estão na Categoria de Risco e 5.459 com Dano Potencial Associado. As demais 723 são classificadas como alta Categoria de Risco e de alto Dano Potencial Associado.

Pensando bem…
…a disputa de sábado foi a segunda eleição do governo Bolsonaro.

Assuntos desta notícia