Coluna Política Nacional – 13.01.2019 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Nacional – 13.01.2019

Governo estima bancada de até 315 na Câmara

O governo anda entusiasmado com a base de apoio na Câmara dos Deputados. Estimativas do PSL colocam a bancada com mais de 305 deputados e até 315, após a adesão do partido ao esforço de reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para presidente. Na transição, bolsonaristas estimavam a bancada em cerca de 290, mas priorizar as chamadas “bancadas transversais” fez crescer as estimativas do governo. Já no Senado o cenário é menos favorável, e o governo ainda não é maioria.

Bancadas transversais

As três principais bancadas: agronegócio, evangélicos e empresários estão majoritariamente na base de apoio a Bolsonaro na Câmara.

Sem toma lá

O apoio de bancadas transversais não custa ao governo como custaria o apoio dos partidos. Esses estão acostumados ao “toma lá, dá cá”.

Partido vs. Bancada

O PSL, maior partido da base aliada do governo Bolsonaro, tem apenas 52 deputados federais. A bancada do agronegócio tem mais de 200.

Dois extremos

Segundo Joice Hasselman (PSL-SP), a reforma da previdência já tem 320 votos entre os deputados eleitos. A oposição fala em metade.

Ex-chefe do FNDE na era petista quer voltar ao órgão

Flagrado em grampo da operação Sinapse da Polícia Federal, o ex-presidente do FNDE, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – autarquia do Ministério da Educação – José Carlos Wanderley de Freitas deve voltar ao órgão como Coordenador-Geral dos Programas do Livro. A indicação é do novo diretor de Ações Educacionais, Eli Valter Gil Filho, executivo do webAula, empresa parceira do grupo Kroton.

Caiu no grampo

Freitas foi flagrado em 2013 pela PF alertando o então reitor do IFPR, Irineu Colombo, ex-deputado do PT, da existência da investigação.

Milhões em desvio

O ex-presidente do FNDE informou a um dos investigados que a PF apurava desvio de R$ 6,6 milhões em repasses do FNDE a Oscips.

Amigão

A webAula é parceira do grupo Kroton, um dos maiores do ramo de educação do país, que pertence a Walfrido Mares Guia, amigão de Lula.

Velhos salteadores

O voto secreto para eleger a mesa do Senado fez acender a luz de alerta no 3º andar do Planalto. O presidente Jair Bolsonaro não se mete, mas tem alertado aliados sobre o risco da eleição de velhos salteadores.

Missão (im)possível

Presidente do Democracia Cristã, José Maria Eymael disse que negou propostas de fusão de vários partidos afetados pela cláusula de barreira. Mesmo sem fundo partidário, garante um DC “atuante e independente”.

Parças

O deputado João Campos, relator do novo Código de Processo Penal, elogiou o ministro Sérgio Moro, disse que tem nele um parceiro para as pautas ligadas à segurança pública e, por outro lado, Moro se colocou à disposição para dialogar e ajudar no que for necessário.

Fica a dica

Com mais um escândalo, desta vez no Rio, com políticos presos que continuam recebendo salários, urge mais atenção dos magistrados que expedem ordens de prisão para suspender o pagamento dos salários.

Apenas isso

Leitor brasileiro que mora em Nova York escreveu, sobre a paralização do governo federal dos Estados Unidos: “no momento que cheguei [de férias no Brasil]… tinha bem menos funcionários [na imigração], só isso”.

Prestação de serviço

Ninguém sabe, mas o PT mantém “diário da resistência (sic)” a “vigília Lula livre’’ com contagem dos dias de Lula preso. Já são 280 dias por R$2,8 milhões, segundo a PF. Custos o “diário” não contabiliza.

Cobrança geral

Ao afirmar que presidente, governadores, deputados, vereadores e o Judiciário devem ser cobrados por melhoria na segurança pública, Jair Bolsonaro deu o recado não apenas aos eleitores, mas às autoridades.

Modernização na prática

Segundo previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a modernização no agronegócio será percebida na safra 18/19. A colheita deve aumentar 4,2%, mas em uma a área plantada apenas 1,2% maior.

Pergunta na resistência

O PT lançou em 2016 o Muda PT, que até fez encontro e criou metas como barrar Rodrigo Maia na Câmara. Desde lá, nada. O PT mudou?

Assuntos desta notícia