Coluna Política Nacional – 15.12.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Nacional – 15.12.2018

Como Battisti, PF soube da prisão pela imprensa

Causou espanto a divulgação da ordem de prisão do terrorista italiano Cesare Battisti na noite de quinta (13), favorecendo sua fuga. A notícia da ordem do ministro Luiz Fux, do STF, contrariou a prática adotada há anos pela Justiça e pela polícia, de surpreender de manhã o alvo de mandado de prisão. O mandado chegou à Polícia Federal após a sua divulgação pela imprensa. Na manhã de sexta (14), quando a polícia bateu à porta do bandido a ser extraditado, ele havia desaparecido.

Destino provável

Policiais acham que Battisti teve ajuda de cúmplices ou agentes de outro país. Há um ano, ele foi preso tentando escapar para Bolívia.

Fuga planejada

Policiais experientes observam que fugitivos como o terrorista Battisti tem sempre plano de fuga preparados nos mínimos detalhes.

Vai que é tua, STF

Procuradores também estranharam a fuga de Battisti. Mas, indagada, a Procuradoria Geral da República informou que isso é “assunto do STF”.

Fux não comenta

No STF, o ministro Luiz Fux informou que não vai comentar a suspeita de que a fuga de Battisti pode ter sido provocada pelo vazamento.

Decreto de extradição estava pronto há um ano

O decreto de extradição do terrorista Cesare Battisti, assinado ontem pelo presidente Michel Temer, estava pronto desde o ano passado. A única alteração foi preparada também nesta sexta (14) pelo ministro Torquato Jardim (Justiça), um dos mais admirados juristas do País, que refez a argumentação para seguir a decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF) ao ordenar a prisão do criminoso.

Tratativas diplomáticas

Em novembro do ano passado, os chanceleres do Brasil, Aloysio Nunes, e da Itália, Angelino Alfano, iniciaram tratativas para extradição.

Frieza e crueldade

Battisti revoltou os italianos ao executar 4 pessoas e deixar paraplégico um garoto de 15 anos. Foi condenado duas vezes à prisão perpétua.

Apenas um bandido

Até por ignorância, a “esquerda” brasileira dá tratamento de “ativista” ou “perseguido político” a Battisti, que é apenas um bandido comum.

Diga-me com quem andas

Apoiar o atual presidente, Rodrigo Maia, nem passa pela cabeça do PSL. É que o atual presidente da Câmara tem “conversado demais” com deputados de oposição, sobretudo do PT, em busca de apoio.

Conversas diferentes

Jair Bolsonaro pediu para que o PSL não manifeste apoio a qualquer candidatura a presidência da Câmara, mas o deputado Luciano Bivar (PE), que preside o partido, anda reafirmando que, “no momento certo”, a candidatura de João Campos (PRB-GO) terá respaldo pesselista.

Persona non grata

O ex-ministro José Dirceu chegou ontem em Campo Grande (MS) para lançar o seu livro. Foi direto ao programa de Joel Silva na FM Capital, líder no horário. De dez ligações de ouvintes, vinte o esculacharam.

Ainda falta o instituto

O caso envolvendo o Instituto Lula no esquema de lavagem de dinheiro na Guiné Equatorial foi remetido à Justiça Federal de São Paulo por ordem do então juiz Sergio Moro. A denúncia foi recebida pela juíza da 2ª Vara Federal de São Paulo, e o presidiário virou réu outra vez.

Autocensura no Youtube

Além de reduzir o número de assinantes de muitas contas, a rede de vídeos Youtube retirou dos seus servidores 58 milhões de vídeos de circulação, nesta sexta-feira (14), por violação a suas “políticas”.

Ocupação

Afastada do cargo de governadora de Roraima, a “rainha da Inglaterra” Suely Campos tem o que fazer: o filho Guilherme, preso em novembro, seria o dono da Qualigourmet, contratada por R$70 milhões pelo governo da mãe para fornecer comida aos presídios do Estado.

Custo lotérico

Apesar de toda a propaganda da Caixa sobre loterias, cerca de 20% de tudo que é arrecadado com essas apostas é destinado para a estrutura burocrática de loterias, em despesas de custeio e manutenção.

Papo de derrotado

Guilherme Boulos, candidato derrotado do Psol à Presidência da República, é o único presidenciável quer assinado o abaixo-assinado pela “liberdade” de Cesare Battisti, o assassino. Nem Haddad assinou.

Pergunta à consciência

Se Battisti é “ativista”, como proclama a esquerdopatia nacional, apesar do assassinato de 4 pessoas, o que será terrorismo para essa gente?

Assuntos desta notícia