Coluna Política Nacional - 24.05.2018 - Jornal A Gazeta

Coluna Política Nacional – 24.05.2018

Parente pôs fogo no País dolarizando a gasolina
A desastrosa decisão do presidente da Petrobras, Pedro Parente, de impor ao Brasil a dolarização da gasolina detonou uma grave crise que deve se agravar, provocando um nível de desabastecimento inédito no País. O presidente Michel Temer não quer demitir Parente, a quem andou elogiando, mas seu pedido de demissão seria recebido com “grande alívio”, dizem fontes do governo. E deixaria quem o nomeou à vontade para encontrar a solução para o problema que ele criou.

Humilhação inédita
Assessores não perdoam Parente pela auto-humilhação pública de Temer pedindo “trégua” aos caminhoneiros.

Não é do mesmo time
Em Brasília, terça (22), Pedro Parente nem sequer ajudou a definir uma solução para o problema que ele próprio criou, tipo “se virem”.

Velha mentira
Parente diz que a Petrobras apenas “reconhece” a alta do barril e a alta do dólar, mas 80% da composição dos seus preços são em reais.

Irresponsabilidade
Parente fez a Petrobras se impor à política econômica, ressuscitando a ameaça de aumentos diários no transporte de pessoas e cargas.

Maia pode apoiar libertação do etanol da Petrobras
O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, admitiu à coluna nesta quarta (23) apoiar iniciativas para libertar o etanol do controle da Petrobras e distribuidoras. A ideia seria favorecer a livre concorrência, permitindo que produtores vendam seu etanol diretamente aos postos, como em todo o mundo. Com isso, o produto nacional teria condições de concorrer com a gasolina no abastecimento dos automóveis flex.

Concorrência desleal
Para impedir a competitividade do etanol, a Petrobras reajusta seu preço juntamente com a gasolina, cuja rentabilidade fica assegurada.

Fiscalização e controle
Rodrigo Maia chama a atenção para a necessidade de criação de mecanismos que garantam etanol de boa qualidade nos postos.

Atravessadores
Projeto do deputado JHC (PSB-AL) suspende a portaria 43 da Agência Nacional do Petróleo (ANP) que entrega o etanol aos atravessadores.

Senhor da trevas
Pedro Parente faz o estilo tecnocrata insensível aos dramas que os governantes provocam. No apagão de energia no governo FHC, que coordenou, não por acaso ganhou o apelido de “senhor das trevas”.

Vaias e aplausos
O deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ) foi vaiado durante sabatina da Confederação Nacional dos Municípios. Dos pré-candidatos presentes, incluindo Alckmin e Meirelles, só Guilherme Afif (PSD) foi aplaudido.

Direto ao ponto
Em dura nota, a Confederação Nacional dos Transportes (CNT), presidida pelo ex-senador Clésio Andrade, criticou as mentiras da Petrobras e a política equivocada e desastrosa de Pedro Parente.

É grave a crise
Enquanto o preço do diesel sobe sem parar, caminhoneiros que atuam entre Rio e São Paulo viram o preço do serviço cair mais de 50% desde fevereiro, segundo a CargoX, que tem 250 mil veículos cadastrados.

Medo do trabalho
Com a crise no abastecimento de querosene de aviação, deputados tentaram acordo para evitar obstrução da oposição e votar tudo ontem mesmo. Queriam se mandar enquanto havia voos saindo de Brasília.

Oportunismo criminoso
A política de reajuste de preços da Petrobras provocou os bloqueios dos caminhoneiros e, nesse caos, houve postos do Recife cobrando criminosos R$9 por um litro de combustível. Ninguém foi preso.

Existe precedente
Em 2012, a 12ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça gaúcho condenou um posto a indenização de R$ 45 mil por crime contra a economia popular, por aumentar preços na véspera do feriado de Páscoa.

Tem que ter motivo
De acordo com o artigo 39, X, do Código de Defesa do Consumidor, é vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusiva, “elevar sem justa causa o preço de produtos ou serviços”.

Pensando bem…
…ao custo de R$ 10 mil por dia, segundo a Polícia Federal, a prisão especial de Lula já nos custou uns 100 mil litros de gasolina

Assuntos desta notícia