Comerciantes da Benjamin Constant atingidos por incêndio realizam bazar – Jornal A Gazeta

Comerciantes da Benjamin Constant atingidos por incêndio realizam bazar

Após uma semana do incêndio que destruiu ao menos três grandes lojas de confecções e calçados e deixou outras cinco com perdas parciais no Calçadão da Benjamin Constant, no Centro de Rio Branco, os lojistas da Stilo Magazine, Bom Preço Calçados e Cantinho do Bebê se uniram para realizar um grande bazar.

A ideia é vender mercadorias salvas no incêndio e assim juntar recursos para despesas emergenciais dos empresários, como a própria reforma dos estabelecimentos e o pagamento de funcionários.

O presidente da Associação Comercial do Acre (Acisa), Celestino Bento, elogiou a iniciativa dos empresários, ao mesmo tempo em que se colocou à disposição para ajudar, dentro das competências da Acisa.

“A situação foi bastante triste, nós sentimos muito por tudo isso. Colocamos a Casa à disposição para quaisquer esclarecimentos tributários. Eu acho que é uma ideia louvável e espero que eles tenham êxito nessa movimentação aí dos seus materiais para que vendam e reconstruam a nova etapa de suas vidas. A gente não tem muito que falar a respeito porque só quem perdeu é que sabe o tamanho do prejuízo”, diz Bento.

A empresária Áurea Pinheiro, que teve sua loja atingida pelo sinistro, acredita que é possível levantar recursos com a venda dos produtos, com preços inferiores ao normal. A ideia é caixa e reerguer suas lojas. “Mas está dando certo e tenho fé que vai continuar assim. Isso aqui não é nem o valor que chegamos a pagar”, diz ela ao citar o preço das peças disponibilizadas no bazar.

O Bazar Solidário atende ao público das 8 horas da manhã até às 18 horas, no Calçadão, próximo ao Colégio Acreano.

Clamor dos comerciantes chega à Aleac

Na última terça-feira, 12, o deputado estadual Edvaldo Magalhães (PCdoB) disse que é preciso fazer mais que apenas se solidarizar com os comerciantes atingidos pelas chamas. Ele pontuou que a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) pode fomentar o debate sobre o assunto.

“A solidariedade nessas horas aparece de maneira muito rápida, mas esse poder precisa ir além. Nós precisamos encontrar uma maneira de ajudar essas pessoas”, diz Edvaldo Magalhães.

O deputado comunista quer uma discussão mais ampla e prática em torno do assunto. O parlamentar disse que conversou com o presidente da Comissão de Orçamento e Finanças (COF) da Aleac, deputado Chico Viga (PHS) para que este convide os empresários e representantes da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) com o objetivo de encontrar uma saída.

“Falei com o deputado Chico Viga, presidente da Comissão de Orçamento e Finanças para trazemos os comerciantes a esta Casa juntamente com representantes do Fisco estadual para que juntos possamos discutir uma saída para o problema. O Estado precisa estender a mão a esses comerciantes, precisamos discutir alternativas, medidas concretas”, ressaltou o deputado acreano.

Foto/ Alcinete Gadelha-G1
Assuntos desta notícia