CPI para investigar contas de energia deve ser reapresentada na próxima terça-feira – Jornal A Gazeta

CPI para investigar contas de energia deve ser reapresentada na próxima terça-feira

O deputado Jenilson Leite (PCdoB) deve reapresentar na próxima terça-feira, 16, na Assembleia Legislativa do Acre, o requerimento solicitando a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar possíveis irregularidades nas contas de energia no Acre.

Vários ângulos de pesquisa estão sendo propostos. O primeiro deles é sobre o contrato de compra e venda, para saber se as cláusulas estão sendo cumpridas pela Energisa.  Outro item a ser investigado é por que o acreano paga uma das taxas de energia elétrica mais altas do país, com um ICMS de 25% que, segundo o Conselho de Consumidores, pode chegar a 37%.

Uma manobra articulada pelo líder do governo na Aleac, o deputado Gerlen Diniz (PP), feita na última terça-feira, 9, fez com que a maioria dos parlamentares da base de sustentação do governo na Casa retirasse seus nomes do requerimento que pede a instauração da CPI.

Após a repercussão negativa sobre o assunto, sobretudo nas redes sociais, alguns parlamentares voltaram atrás e outros que ainda não haviam assinado o requerimento, o fizeram.

O requerimento, hoje, conta com onze assinaturas. Os deputados que assinaram foram: Wagner Felipe (PR), Nenem Almeida (Solidariedade), Jonas Lima (PT), Jenilson Leite (PCdoB), Edvaldo Magalhães (PC do B), Roberto Duarte (MDB), Daniel Zen (PT), Cadmiel Bonfim (PSDB), Meire Serafim (MDB), Fagner Calegário (PV) e Maria Antônia (PROS).

O autor da proposta, deputado Jenilson Leite diz que a CPI vai trabalhar para tirar a população desta situação vexatória imposta pela companhia de energia. “O aumento foi muito substancial, foi de 21%, a redução de pouco mais de 3%. Depois baixou para 18% e pode continuar baixando”, esclarece.

Movimento

O Partido dos Trabalhadores organiza para a terça-feira, 16, um grande movimento na Aleac. O objetivo é pressionar os parlamentares estaduais quanto a instalação da CPI da Energisa.

Assuntos desta notícia