Dono de locadora de veículos tem prejuízo de mais de R$ 60 mil com carros levados por bando – Jornal A Gazeta

Dono de locadora de veículos tem prejuízo de mais de R$ 60 mil com carros levados por bando

Uma quadrilha especializada em roubo de carros tem dado prejuízo para as locadoras do Acre. O empresário Rodrigo Parrilha teve cinco veículos levados pelos criminosos e estima um prejuízo de mais de R$ 60 mil.

Os criminosos agem da seguinte forma: alugam os carros e repassam para terceiros, que não sabem que se trata de um veículo alugado. No Acre, quase todas as locadoras foram prejudicadas.

Dono de uma das empresas prejudicadas, Parrilha, explicou que é possível encontrar os veículos sendo vendidos nas redes sociais por valores bem menores.

“Pegam uma pessoa que tem o nome limpo e retiram o veículo. A pessoa não tem nenhuma restrição, identidade correta, tem cartão de crédito e depois revendem o veículo”, lamentou.

Carros recuperados foram encontrados em outros estados brasileiros e até fora do país — Foto Reprodução

Ação

Alguns dos veículos foram recuperados em diversos estados do Brasil e até fora do país. Essa facilidade só é possível porque existe uma ‘brecha’ na Legislação. A prática é chamada de apropriação indébita e não é considerada furto.

Segundo a Polícia Civil, a prática consiste no empoderamento de algo sem o consentimento do dono. O criminoso recebe o bem por empréstimo ou por confiança e passa agir como se fosse o próprio dono.

“É uma prática sendo utilizada no Sudeste que está migrando para o Norte e Nordeste. Temos alguns episódios, mas temos tido êxito em localizar esses veículos com investigações e pedidos de medidas cautelares de busca e apreensão”, explicou o delegado Fabrizzio Sobreira.

Sobreira aconselhou ainda a não fazer locação de veículos particulares. Além disso, as locadoras precisam adotar algumas medidas antes de alugar os veículos com a checagem em todos os documentos apresentados.

“Isso através de RG, Habilitação, comprovantes de residências. Se existirem dúvidas, o empresário deve procurar uma delegacia para apresentar a documentação para que esses dados sejam checados de forma mais profunda para saber se o indivíduo está utilizando documentos falsos para locar o veículo e repassar de forma indevida”, complementou.

Assuntos desta notícia