É de se esperar mais – Jornal A Gazeta

É de se esperar mais

Com alguma boa vontade, pode-se dizer que o debate anteontem na TV ACRE entre os candidatos a governador do Estado foi um pouco melhor do que os anteriores, mas mesmo assim para os mais atentos ficou mais uma vez evidente que era de se exigir um preparo melhor de alguns candidatos quando instados a analisar e propor soluções para alguns dos problemas mais graves que vem atingindo a população do Estado.

Por exemplo, na grave questão da segurança pública, alguns candidatos ou ignoram ou fingem ignorar a interiorização das facções criminosas para os estados do Norte e Nordeste nos últimos anos que aqui encontraram com as fronteiras abertas, escancaradas o acesso ao narcotráfico e contrabando de armas e no seu rastro aumentaram os índices de criminalidade.

Ignorar esse problema e simplesmente propor soluções paliativas ou voluntaristas como tipo “eu faço ou arrebento”, sem cobrar do Governo Federal a sua obrigação de por em prática um plano nacional de segurança pública integrado, como tem exigido o atual governador Tião Viana e outros governadores da região, é ilusório e até mesmo irresponsabilidade.

Outra questão é quando os candidatos discorrem sobre alguns setores como os da Educação, Saúde e agronegócio. A rigor, não se ouve nada de inovador, apenas generalidades ou então executar e finalizar projetos e obras que já estão em andamento e dando bons resultados, como nas chamadas cadeias produtivas.

Enfim, é de esperar mais de candidatos que se propõem a administrar um estado com suas características próprias e problemas.

Assuntos desta notícia