“É uma vitória da Assembleia, dos servidores e uma derrota dos falcões do governo”, disse Edvaldo Magalhães   – Jornal A Gazeta

“É uma vitória da Assembleia, dos servidores e uma derrota dos falcões do governo”, disse Edvaldo Magalhães  

O líder da oposição, deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) destacou que o governo retirou de pauta a criação do Instituto de Gestão de Saúde do Acre (IGESAC) por entender que não haviam votos suficientes para aprovar o texto. Ele pontuou que os deputados de situação, vinham sendo expostos a cada votação. Nesse sentido, tiveram bom senso e adiaram a discussão, fruto da luta dos servidores da Saúde.

“O que está acontecendo hoje aqui é fruto da nossa discussão, da presença de vocês ontem aqui. Eu quero elogiar a decisão tomada por vossa excelência. Não tinha voto aqui nesse plenário para aprovar a criação do Instituto. O governo não tinha voto. A oposição e a independência fizeram a resistência. Mas, a gente tem que bater palmas para os deputados e deputadas da base do governo que mandaram um recado dizendo assim: se botar para votar, nós não vamos colocar o pescoço na forca mais uma vez não. Basta de forca, basta de sacrifício, de exposição desnecessária”, disse o parlamentar.

Edvaldo Magalhães acentuou que “o projeto não convence nem mesmo a equipe técnica da Secretaria de Saúde. Teve um da equipe técnica que disse assim: ‘esse projeto é a cara da Mônica. O Alysson tem que ter um projeto da cara dele’. É uma vitória da Assembleia, dos servidores da Saúde e uma derrota dos falcões do governo. A base do governo não pode ficar exposta ao ridículo, de algo que sequer viu, sequer observou. Era isso que ia acontecer aqui”.

Em outra linha de raciocínio, já no Grande Expediente, Edvaldo Magalhães destacou a eleição para diretores de escola realizada ontem, 10. Foram 560 escolas que participaram do pleito, fruto de uma lei aprovada em 1996 de autoria de Magalhães, sancionada pelo governador da época, Orleir Cameli.

“Os gestores eram indicados pelo secretário de Educação. Quem escolhia diretor de escola era deputado, vereador. E naquela época eu assumi o mandato aqui cedido gentilmente pelo deputado Sergio Taboada, para que o primeiro suplente pudesse assumir. Aquilo que eu achava que seria muito difícil, eu fui surpreendido, nós construímos uma maioria. Eu fui surpreendido pelo governador Orleir Cameli. Por isso quero fazer esse registro para a história. Hoje, nós temos as escolhas de todos os gestores. Muitos novos diretores foram eleitos ontem graças a uma conquista democrática do passado”, lembrou.

 

Assuntos desta notícia