Em resposta a ofício de Luana Campos, Iapen/AC diz que reeducandos seguem monitorados – Jornal A Gazeta

Em resposta a ofício de Luana Campos, Iapen/AC diz que reeducandos seguem monitorados

O diretor-presidente do Instituto Administrativo e Penitenciário do Acre (Iapen/AC), Lucas Gomes, disse que o serviço prestado pela empresa que fornece as tornozeleiras foi normalizado. Ele frisou que os equipamentos chegaram no dia 17, justamente no dia em que a juíza da Vara de Execuções Penais havia expedido ofício comunicando que os presos do semiabertos estavam cumprindo prisão domiciliar sem qualquer monitoramento do Estado.

No Acre, 1.478 reeducandos são monitorados pelas forças de Segurança Pública. Lucas Gomes destaca que no dia 18, um dia após a chegada das tornozeleiras, os equipamentos foram instalados nos presos do semiaberto.

“As tornozeleiras chegaram dia 17 e foram instaladas no dia 18. Já está normal. Tiveram instalações ontem e hoje. Tudo normalizado”, disse Lucas Gomes ao comentar a respeito do ofício de Luana Campos.

No documento datado do último dia 17, a juíza Luana Campos disse: “Informo a vossas senhorias que todos condenados do semiaberto estão cumprindo sua pena em prisão domiciliar, SEM MONITORAÇÃO ELETRÔNICA, diante da falta de equipamentos e unidade própria para esse regime”.

E acrescenta a juíza: “A presente informação busca alertá-los desse grave risco, visto que todos estão sem nenhuma fiscalização”, finalizou ao dizer que na expedição do documento mais de 70 apenados ganharam a liberdade condicional sem o acompanhamento do Estado.

O alerta de Luana Campos foi emitido às Polícias Federal e Rodoviária Federal, Secretaria de Estado de Segurança Pública, Secretaria de Estado de Polícia Civil e Comando da Polícia Militar do Acre.

Assuntos desta notícia