“Entrei para as estatísticas” – Jornal A Gazeta

“Entrei para as estatísticas”

Antes, com suas ações criminosas restritas aos bairros, onde formaram seus “territórios” para o controle das drogas, as facções criminosas estão agora atacando também no Centro da cidade, com roubos de carros e assaltos a casas comerciais e a residências.

Neste final de semana, foi a vez do vereador Emerson Jarude, que teve seu escritório arrombado, de onde os assaltantes levaram praticamente tudo e ele, ao dar queixa da delegacia de polícia, fez uma observação pertinente: “entrei para as estatísticas”.

Por mais que o Governo tente minimizar as ações desses grupos criminosos com estatísticas e o próprio governador declare que sua maior preocupação é com a Segurança e a Saúde, além de posar para fotografias com o ministro da Justiça e com o presidente da República, batendo palminha, a realidade não mudou em, praticamente, nada.

Aliás, embora sempre cercado por segurança, o governador que tome os devidos cuidados para também não “entrar nas estatísticas”, como casas comerciais, empresários e agora políticos também já fazem parte desses números.

Por mais que se tenha mostrado que a causa primeira e principal desse grave problema tem origem no narcotráfico e que só com um Plano Nacional Integrado atuando nas fronteiras vai resolvê-los, os dias, os meses, os anos vão passando até agora não se viu nenhum plano em ação, a não ser promessas vãs.

Ate lá, ninguém estará seguro de não entrar para as “estatísticas”.

 

 

Assuntos desta notícia