Ex-mulher é presa e confessa ter ajudado genro a matar homem – Jornal A Gazeta

Ex-mulher é presa e confessa ter ajudado genro a matar homem

A Polícia Civil do Acre prendeu Elenilda Queiroz por homicídio qualificado na última terça-feira, 9. Ela é suspeita de ajudar o genro, Francisco Antônio de Lima, preso na sexta passada, 5, a matar o ex-marido Rosildo de Oliveira, de 55 anos.

Oliveira está desaparecido desde o último dia 27, quando teria sido assassinado a tiros por Francisco Lima, e o corpo jogado no Rio Xapuri. O crime ocorreu na zona rural de Assis Brasil.

Vítima não aceitava relacionamento da filha

A vítima teria sido morta porque não aceitava o relacionamento da filha adolescente com o suspeito. Segundo a polícia, o suspeito confessou o crime quando foi preso. A menina é fruto do relacionamento da vítima com Elenilda.

O delegado responsável pelo caso, Luiz Tonini, falou que Elenilda teria ido até a casa do ex-marido e distraído ele enquanto Francisco Lima estava escondido na mata. A arma usada no crime teria sido fornecida pela mulher para que o genro matasse a vítima.

“A gente sabia que ele era o autor e sabia também que tinha a participação dela. Mas, mantemos o sigilo para que ela não fugisse. Representei pela prisão dos dois. O pessoal foi cumprir e tentar localizar o corpo.

Além de Elenilda, a polícia prendeu também o atual companheiro dela por posse ilegal de arma de fogo. Os dois foram levados por equipes das polícias Civil e Militar e Corpo de Bombeiros, que foram até a localidade tentar resgatar o cadáver da vítima, para Assis Brasil.

“Montamos a equipe com apoio dos Bombeiros e da Polícia Militar para ajudar na localização do corpo, o que infelizmente não foi possível devido a esse lapso temporal e da forte correnteza do rio”, afirmou Tonini.

O atual companheiro de Elenilda pagou fiança e foi liberado ainda na terça.

Crime

Em depoimento, Francisco Lima falou que o sogro o ameaçou de denunciar à Justiça por estar morando com a adolescente. Além disso, o suspeito confessou que foi até ameaçado de morte pela vítima.

Em conversa com Elenilda, o suspeito disse que ouviu a sogra dizer que também estava irritada pelo fato do ex-marido falar que ela também seria responsabilizada pelo relacionamento da filha. O casal morava na parte de trás da casa de Elenilda.

“Disse que não aguentava mais isso. O Francisco contou que o Rosildo ia matar ele e falou ‘vamos matar ele logo’. Ela perguntou se ele tinha coragem e ele disse que sim. Os dois foram até a casa de Rosildo e a Elenilda chamou ele enquanto o Francisco estava escondido na mata”, revelou.

A vítima teria sido atingida com seis disparos. Após isso, os dois enrolaram o corpo em uma toalha e teriam jogado no Rio Xapuri. Os bombeiros fizeram buscas pelo local, mas não encontraram o cadáver.

“Já tem duas semanas de desaparecimento, disseram que a correnteza estava muito forte”, detalhou.

Assuntos desta notícia