Francisco Djalma diz que é necessário aproximar Judiciário dos acreanos e defende celeridade nos processos – Jornal A Gazeta

Francisco Djalma diz que é necessário aproximar Judiciário dos acreanos e defende celeridade nos processos

O novo presidente do Tribunal de Justiça do Acre (TJ/AC), desembargador Francisco Djalma, que tomou posse na última segunda-feira, 4, disse que é necessário aproximar ainda mais o Poder Judiciário da população acreana. Ele pontuou que o Tribunal de Justiça do Estado tem que estar preparado para os conflitos sociais da atualidade.

“Precisamos aproximar mais o Poder Judiciário da sociedade; julgar com celeridade, eficiência e qualidade a crescente demanda de ações que se apresentam nos cancelos de nossos fóruns, decorrentes de toda sorte de mazelas capitaneadas pelo desemprego; pelas desigualdades sociais; pela crescente violência ocasionada, em sua maioria, pelas organizações criminosas e pela facilidade do convívio com as drogas, sem se olvidar da famigerada corrupção na administração pública”, disse o magistrado.

Falando em união dos poderes, Francisco Djalma conclamou o Executivo e o Legislativo, Ministério Público, OAB/AC, entre outras instituições, no enfretamento aos problemas sociais. “Chego à Presidência deste Tribunal com a consciência de que nada se pode realizar sozinho. A união é fundamental. Precisamos do apoio de nossos órgãos parceiros”, destaca.

Ao falar sobre o momento econômico dos Estados, ele pontuou que medidas de contenção de despesas podem ser adotadas para adequar à nova realidade.

Quanto ao concurso para a contratação de novos juízes, o magistrado ressalta que a medida visa garantir celeridade nas análises processuais e vê a iniciativa como uma medida positiva.

Francisco Djalma é o 28° presidente a assumir o TJ/AC. O novo presidente permanece no cargo até o final de 2020, quando encerra o biênio 2019-2020.

Gecom /TJAC
Assuntos desta notícia