Gazetinhas – 01.03.2019 – Jornal A Gazeta

Gazetinhas – 01.03.2019

*Olha as águas de março aí…
*É chuva, muita chuva!
*E, segundo nosso brujo do tempo, a previsão é de tempo instável, em todo o Estado, durante todo o feriadão do Carnaval.
*Sem a tradição local da grande festa popular, a partir de hoje, o ritmo da cidade já começa a desacelerar…
*E, até a quarta de cinzas, fica tudo assim, devagar, quase parando.
*Tipo como anda a economia local, sabe como é?!
*Tsc, tsc, tsc.
*A propósito, interessante o artigo do ex-deputado João Correia, publicado em um site local e repercutido na edição de hoje do matutino.
*Economista e professor universitário, o ex-deputado faz uma análise das “escolhas” do governo de Gladson Cameli na condução da política econômica, neste início de gestão.
*Da decisão de “formar um caixa em marcha forçada”, para reforçar o erário do governo…
*(Com toda a espetacularização desse cenário de crise).
*À custa, entretanto, da paralisia de diversas atividades do próprio governo e, consequentemente, do setor privado, dependente que é, até hoje, da máquina pública.
*Picuinhas e/ou interesses políticos à parte, João Correia chama a atenção para o impacto do corte de milhares de cargos e funções de servidores públicos…
*E dos “efeitos multiplicadores negativos” na economia, de modo geral.
*É a queda da “massa salarial”, o aumento do endividamento, a queda do consumo e por aí vai.
* “Não precisa expertise em Economia  para se saber que estabelecimentos comerciais e de serviços espalhados pelos quatro cantos do Estado murcharam ou ficaram entanguidos…”, comenta ele.
*E continua:
* “E de que atividades econômicas que decrescem desempregam trabalhadores e alimentam o círculo vicioso da miséria e da penúria”.
*É… Não precisa.
*Por outro lado, o economista reconhece “o dever de se combater gorduras, desperdícios, malversações, otimizar investimentos, mostrar competência na busca de recursos”…
*Aliás, como sempre deve ser.
*Entretanto, no ritmo paralisado e insensível que a equipe econômica impõe às ações internas e externas, os riscos de um “quadro recessivo” ou de outros danos maiores é iminente.
*Vale a reflexão.
*Uma novidade para este carnaval é a “Lei de importunação sexual”, que entrou em vigor e pode render até cinco anos de prisão.
*A partir de agora, toques inapropriados, beijos ou abraços forçados, cantadas inoportunas ou quaisquer outros atos sem o consentimento da vítima podem dar cadeia.
*É isso aí.
* “Não é não!”, alerta o Dim, dono de si, ali atrás.
*Ririri.
*O óbvio, o simples…
*Mas que em tempos de tanta estupidez, precisa ser gritado por todos.

Assuntos desta notícia