Gazetinhas – 06.03.2018 – Jornal A Gazeta

Gazetinhas – 06.03.2018

*Simbora, que a semana é nossa, delas!
*E de todos os homens que amam e respeitam as mulheres também.
*Ministério Público do Acre, mais engajado e atualizado do que nunca, iniciou a segunda-feira com programação especial, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, festejado no dia 8 de março.
*O primeiro evento foi aberto pela procuradora-geral Kátia Rejane e contou com a presença de mulheres ilustres, trocando experiências sobre as conquistas e os desafios à frente da vida e das instituições públicas do Estado.
*Coisa linda de se ver.
*Foi lançado o selo comemorativo do MPE-AC em alusão à data;
*E apresentada a campanha “Falar para empoderar”, mais uma iniciativa do órgão pelo enfrentamento da violência doméstica.
*É isso aí.
*E como bem disse a procuradora Patrícia Rêgo:
*Trata-se de uma luta que é de “responsabilidade da sociedade brasileira”;
*De cada uma de nós, mulheres, homens, mães, pais, educadores, comunicadores…
*Até porque, embora muitos avanços tenham ocorrido, os números relacionados à violência ainda são absurdos, assustadores.
*Segundo dados divulgados pelo MP:
*No Brasil, a cada hora, 503 mulheres são vítimas de agressão;
*A cada duas horas, uma é assassinada.
*E poderia ser a minha ou sua filha, mãe, irmã, tia, prima, amiga…
*Porque, ao contrário do que se pensa, na maioria das vezes, esses crimes ocorrem tão perto de nós que é até difícil de acreditar.
*Avante, mulheres e homens de bem!
*É preciso vencer isso aí.
*E depois de um final de semana tumultuado, parece que terminou em ritmo de reconciliação o clima entre o MDB e o senador Gladson Cameli.
*Tudo não passou de uma crise de ciúmes do Azulão, será?!
*E que crise!
*Com direito a rompantes, barracos públicos e até ameaça de troca de parceiro.
*Mas, até aí, faz parte de qualquer relacionamento instável, no qual a confiança, a lealdadee o diálogo não foram construídos e, muito menos, sedimentados.
*O problema é a velha e conhecida falta de maturidade da nossa oposição ao expor as “intimidades”e fragilidades na roda, pra toda vizinhança dar palpite.
*Tsc, tsc, tsc.
*Internamente, o “blefe” do MDB pode até ter surtido o efeito desejado.
*Afinal, a dinâmica de pressão e intimidação é o que deve funcionar quando não há, de fato, uma liderança ainda bem definida.
*Mas, externamente, pegou mal, muito mal.
*E as frases que mais se ouvia, nas rodas de conversa, mesmo entre aqueles que não gostam do PT (!), era as seguintes:
* “São muito burros!”;
*Ou:
* “Vão perder de novo pros Viana!”.
*Eita, que o acreano não alisa, não.
*A conferir no que vai dar.

Assuntos desta notícia